Correio do Bem

Jocerana e Leticia querem cursos profissionalizantes

Published

em

Jocenara mora com a mãe Lenza e dois filhos, Vinícius de 4 anos e Bárbara de 14 anos - Fotos: Patrícia Vieira

Dois sonhos profissionais distintos, mas com histórias de vida semelhantes. Trata-se de duas mães que lutam diariamente para dar o melhor para suas famílias e que cuidam de suas mães doentes.

Suas esperanças foram renovadas com o projeto CL Correio do Bem, que visa ajudar na transformação dos pequenos negócios e profissões, além disso, auxiliar no sucesso profissional e acompanhar essas mudanças.

Foi através do CLMais que Jocenara da Silva Ferreira e Leticia Oliveira Ferino, se inscreveram para pedir cursos profissionalizantes de informática e corte e costura, respectivamente.

Jocenara sonha com um curso de informática

Separada, mãe de três filhos e morando de aluguel, Jocenara da Silva Ferreira trabalha como serviços gerais, porém, está afastada por questões de saúde. Com isso, está cada vez mais difícil de conseguir pagar um curso de informática que é seu maior sonho.

Mesmo empregada, ela conta que com o salário que ganha não é suficiente nem para custear as despesas da casa. Para se ter uma ideia, ela paga R$ 500 de aluguel no imóvel onde mora com dois filhos, a sua mãe, Leniza Borges da Silva, de 58 anos, que tem problemas de saúde, e faz tratamento contra depressão, ansiedade e a síndrome do pânico. 

No mês de julho, Jocenara precisou fazer uma histerectomia total (uma operação cirúrgica ginecológica que efetua a remoção do útero). Ainda quando se recuperava do procedimento, ela teve trombose em sua perna esquerda, o que tem dificultado bastante o seu dia a dia.

“Só o Xarelto, um medicamento para o tratar a trombose, custa quase R$300. A médica prescreveu para tomar, por no mínimo, seis meses, mas não tenho como comprar a medicação”, desabafa a mulher explicando que não sabe como vai ser seu retorno ao trabalho, já que exerce a função de serviços gerais em um hospital de Lages, e não se encontra muito bem de saúde.

Como seu desejo é mudar de profissão, para dar melhores condições de vida à sua família, ela, que é seguidora das redes sociais do Correio Lageano, viu como a oportunidade única de realizar seu sonho pelo CL Correio do Bem.

Leticia quer um curso de costura

Leticia Oliveira Ferino, de 33 anos é casada, mãe de dois filhos, um de 17 e outro de 5 anos, mora em casa própria e cuida da sua mãe, Maria Ivone de Oliveira, de 84 anos, que tem dificuldades de locomoção, pois além da idade, há seis anos ela teve um acidente vascular cerebral (AVC). Com isso, não consegue trabalhar fora de casa para ajudar na renda da família. 

O que para ela não é problema, já que tem como alternativa costurar nas horas vagas na própria casa para incrementar a renda. Sua mãe é pensionista, mas o ganha é suficiente apenas para cobrir as despesas com medicamentos e comprar fraldas geriátricas.

Seu maior desejo é aprender corte e costura, só que para isso, precisa fazer um curso profissionalizante, e devido sua condição financeira não consegue pagar pela qualificação. “Só costuro alguma coisa na mão, mas muito pouco. Mas sempre tive vontade de aprender a costurar com máquina” disse Letícia.

Para tentar realizar seu sonho, assim que ficou sabendo do projeto do Correio Lageano, que tem como objetivo unir pessoas que precisam de ajuda àquelas que podem contribuir para as transformações, Leticia mandou sua história através do CL Correio do Bem.

Letícia cuida da mãe Ivone, de 84 anos, e quer ganhar um curso de costura

Pedidos ainda não atendidos

  • Ana Cristina Wiggers deseja uma máquina de fazer salgados e um curso de gastronomia. O filho dela, Ronald, foi quem escreveu a história da mãe no site do Correio do Bem.
  • Deise Maria Alves Inácio, de 48 anos, quer uma máquina digital de tricô. Este é o seu sonho pessoal e profissional. Aproveitando que a cidade está em uma das regiões mais frias de Santa Catarina, quer fazer tricô e vender de forma especializada às pessoas com deficiência.
  • Ivanka de Oliveira, de 34 anos, desempregada, quer investir em seu próprio negócio. Seu maior sonho sempre foi ser mecânica, uma profissão, segundo ela, de valor e que requer muito preparo e dedicação.
  • Osvaldino Mauro Rodrigueiro tem 47 anos, com o curso de operador de empilhadeira ou equipamentos para a cozinha, Osvaldino acredita que a família pode recuperar a estabilidade financeira.
  • Rosa dos Santos Córdova tem 71 anos, é pensionista do INSS e passa por alguns apertos financeiros, mas, mesmo assim, não desanima. Tanto é que deseja se tornar empreendedora do ramo de artesanato. Por isso, precisa aprender mais técnicas de crochê.
  • Liberaci Ribeiro Luchtenberg, de 53 anos, desempregada desde o início deste ano, resolveu montar seu próprio negócio. Para ajudar na renda mensal da família, ela  começou a trabalhar como manicure e pedicure, e precisa de uma autoclave portátil. 
  • Helaini Haro de Souza, de 28 anos, descobriu, há um ano, sua paixão pela costura. Moradora de São Joaquim, a jovem, que é evangélica, começou a costurar saias para as mulheres de sua igreja. Foi assim que ela se apaixonou pelos cortes, desenhos e linhas. Mas para isso ela precisa de uma máquina overlock e uma reta. 
  • Cristiane Beatriz de Sousa, de 35  anos, é apaixonada por costura, sonha em ganhar uma máquina de costura para incrementar a renda familiar e também ajudar a levantar sua autoestima, já que faz tratamento contra depressão. Ela tem curso de corte e costura, e também já trabalhou como costureira em uma facção.
  • Robson Aguida Pereira, de 40 anos, trabalha há 12 anos com material reciclável (plásticos, vidro, papel e metal). Ele precisa de uma prensa para auxiliar e agregar valor em seus materiais. 

Como participar do CL Correio do Bem

O projeto quer ajudar a transformar pequenos negócios e profissões, auxiliar no sucesso profissional e acompanhar essas mudanças. O objetivo é unir pessoas que precisam de ajuda àquelas que podem contribuir para as transformações.

Se você é uma dessas pessoas que precisa de auxílio para iniciar ou melhorar o seu negócio, deposite sua carta em uma das urnas distribuídas em vários pontos da cidade, explicando qual o seu pedido. As cartas também podem ser cadastradas pelo Portal CLMais ou pelo e-mail [email protected]

Os pedidos serão analisados e, desde que atendam aos critérios do regulamento, serão divulgados no portal. Além disso, algumas das histórias serão publicadas em forma de matéria no jornal impresso, como essas histórias da Jocemara e da Letícia.

Saiba onde estão as urnas do CL Correio do Bem

  • Ponto de Leitura na Praça do Terminal Urbano, no Centro de Lages
  • Setor Comercial do CL (Rua Coronel Córdova, Centro)
  • Supermercados Kloppel (Rua Silvino Duarte Jr, Popular)
  • Myatã (Av. Luís de Camões, Coral)
  • Martendal (Rua São Joaquim, Copacabana)
  • Hipermercado Big (Rua Getúlio Vargas, Conta Dinheiro)
  • Banco do Emprego (Rua Sebastião Furtado, Centro)
clique para comentar

Deixe uma resposta