Esportes

#CLentrevista com Renato Junior

Published

em

Foto: Jordana Boscato

Colaborou Jordana Boscato

Como estão os preparativos para o Jocol deste ano?

Estamos conversando com o Dito (Benedito Moura), nosso diretor do Jocol, já dando os primeiros passos para começar uma das séries. Neste ano, teremos três séries, A, B e C. A série C já se inicia no mês de março.

A primeira ação do Jocol é a Recopa, envolvendo as equipes campeãs do ano passado, da série A e da série B. O que já tem definido em relação a essa partida?

Estamos fazendo reuniões para que a gente consiga fazer com que as coisas saiam redondinhas. Nosso primeiro ato será a Recopa, envolvendo o campeão da série B, Figueirinha, contra o campeão da série A, Atlético Honolulu. Então, provavelmente, no meio do mês de fevereiro a gente faça essa partida no estádio, para comemorar, o que já está virando praxe no nosso Jocol.         

Uma das novidades do Jocol deste ano é o retorno da Série C, que reunia o maior número de equipes de futebol de campo. Por que a fundação decidiu retomar esta modalidade?

Umas das reivindicações do pessoal era que a série B, que ficou com 54 times nos últimos dois anos, tinha times muito fortes e outros nem tanto, aqueles que entraram mesmo para participar e fazer parte do Jocol. Sendo assim, a gente enxugou isso, deixamos as séries A e B com 24 times cada, e vamos fazer a série C com 32 equipes. 

Então foi uma reivindicação das próprias equipes?

Isso mesmo. Tive uma reunião com alguns dirigentes que pediram o retorno da modalidade. A gente analisou financeiramente, em termos de calendário, logística, como íamos fazer, e no fim conseguimos deixar tudo redondinho. Neste ano de 2020 vamos ter a série C de volta.        

Muitos atletas e equipes estavam se sentindo “excluídos” com o fim da Série C? 

Sim. Tanto que teve algumas partidas da série B, por exemplo, que deu 12×1, para você ver a disparidade que tinha entre alguns times. Criando a série C, vamos formar uma série competitiva, com um nível bem bacana, para que todo pessoal possa participar.

Outra novidade é a criação do Mais 50, que vem para dar oportunidade aos atletas mais velhos. É mais ou menos essa a ideia?

Exatamente. Na final do Mais 40, eu estive conversando com alguns atletas e eles me confidenciaram que estava difícil ir atrás da ‘piazada’ de 40 anos. E conversando com algumas outras pessoas, chegou até nós a ideia de fazer o Mais 50. Analisando os fatos, se era possível, junto do prefeito Ceron e com o vice-prefeito Juliano, chegamos à conclusão que seria muito bom todo esse projeto.   

O site da Fundação Municipal de Esporte vai ter um novo formato a partir deste ano. O que vai ter de novidade?

Essa foi uma novidade que chegou até a Fundação de Esportes, através do Secretário Samuel, que estava em viagem junto com o vice-prefeito Juliano. Me ligaram relatando que tinha um site muito bacana, para ser analisado, fomos atrás e realmente vimos um novo segmento em um site esportivo. Está em processo licitatório e, provavelmente, até 20 de fevereiro, saia essa licitação. Mas é um site inovador, onde vão constar as informações de jogadores e vai facilitar muito a vida esportiva. 

O que vai melhorar e mudar para os esportistas que vão acessar o site. Eles vão acessar as informações com maior facilidade?

Um exemplo: O Renatinho entra no site e quer ver quais são os eventos que do final de semana, quando ele acessar, vai ter à disposição, agenda esportiva dando as devidas informações. Até mesmo quando um pai quer colocar seu filho na escolinha, lá ele checa local, horário e outras informações. O que facilita para todos e buscar deixar por dentro do esporte de Lages.   

Além do Jocol, a Fundação Municipal de Esportes organiza e executa outras atividades. Quais são elas e como está a programação para o início dessas ações? 

Estamos ainda na nossa primeira semana de trabalho, mas estamos encaminhando o Bolsa Atleta, os convênios dentro do marco regulatório, que ajudam as escolinhas. Então, a gente faz esses convênios, para fomentar o esporte de base, de rendimento.

Então, o calendário está cheio, além do Jocol, que é o principal ação da fundação, né?

O Jocol é os olhos da comunidade, é um programa que atinge mais de 7 mil ou 8 mil pessoas. Evento que sempre está em evidência, futebol de campo com 80 times, um dos maiores Campeonatos Amadores do Brasil, sempre chama muita atenção. Mas na Fundação de Esportes, temos outros braços, e precisamos estar sempre atentos para que as coisas aconteçam num nível bem bacana para toda a população.

Uma das primeiras ações da Fundação Municipal de Esportes será o apoio a uma partida festiva que vai acontecer no próximo dia 18, em comemoração aos 20 anos do título do Campeonato Catarinense da segunda divisão do Inter de Lages. O jogo vai envolver o combinado, a imprensa e convidados contra os heróis da conquista de 2000. Como surgiu a ideia dessa partida? 

Eu estava em férias e recebi um telefonema do Jones, dizendo que surgiu uma ideia e que estavam a fim de fazer, se nós poderíamos apoiar. E, prontamente, a gente estendeu a mão, porque isso é muito importante. O Internacional de Lages é uma das nossa reservas esportivas, moral, cultural. Vai surgir um amistoso contra a imprensa, é muito bom fazer essa interação em comemoração dos 20 anos do título da série B. Alguns jogadores já confirmaram, entre eles o Kuqqui, e vamos ter a oportunidade de rever esses craques.   

Colaborou: Jordana Boscato

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com