Notícias

Ponte é vistoriada no Rio Pelotas

Published

em

Foto: AutoPista/Divulgação

O trânsito entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul ficou bloqueado na manhã de ontem devido à vistoria na ponte do Rio Pelotas. De acordo com o coordenador de fiscalização de obras da Arteris Planalto Sul, Tiago Venzke Bortoli, a vistoria é importante para verificar as condições de conservação e funcionalidade da ponte.

No caso desta ponte em específico, que mede 250 metros de comprimento, eram previstos no contrato o reforço, a reforma e o alargamento da pista para comportar um acostamento, adequando-se às novas exigências de tráfego. Atualizados, os valores investidos na Ponte do Rio Pelotas seriam de R$ 8.398.773,94 em moeda atual.

Tiago explica que as vistorias são feitas anualmente em todas as obras de arte, que incluem pontes, passarelas e viadutos. Em algumas estruturas, como a do Rio Pelotas, as atividades são especiais, como, inclusive, entrar na ponte para realizar a vistoria.

A Planalto Sul é responsável pela administração dos 412,7 quilômetros da rodovia BR-116, fazendo a ligação da capital paranaense à divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O contrato de concessão, que engloba 17 municípios em sua malha viária, foi assinado em 14 de fevereiro de 2008 e prevê investimentos de R$ 1,9 bilhão durante sua vigência, que é de 25 anos.

O trecho da Planalto Sul liga Curitiba (PR) à divisa dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul pela BR-116. Todo esse trajeto corta os municípios de Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Quitandinha, Campo do Tenente e Rio Negro, no Estado do Paraná; Mafra, Itaiópolis, Papanduva, Monte Castelo, Santa Cecília, Ponte Alta do Norte, São Cristóvão do Sul, Ponte Alta, Correia Pinto, Lages e Capão Alto, no Estado de Santa Catarina. A rodovia foi construída entre as décadas de 1940 e 1950, por ser uma rodovia antiga, quase toda ela ainda é de pista simples.

O coordenador enfatiza que, além da vistoria anual, a ligação da ponte com a rodovia recebe inspeção e manutenção a cada três anos, em média. Com essas vistorias e inspeções permanentes, não estão previstas grandes obras, apenas serviços de manutenção e conservação, caso necessário.

Equipes de atuação neste mês

  • Equipe de pavimento próximo à Serra do Espigão
  • Equipes frequentes fazendo a manutenção da rodovia
  • 8 equipes de conservação
  • 2 equipes de poda
  • 2 equipes de pavimento
  • 2 equipes de pintura
  • 4 equipes de drenagem
clique para comentar

Deixe uma resposta