Política

Agência de Lages será modelo para resto do Estado

Published

em

Foto; Bega Godóy

A partir de hoje a Celesc começa a atender os clientes de Lages em sua nova loja, na Avenida Duque de Caxias, próximo da Pirâmide. A agência será modelo para o resto do Estado. A expectativa do presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, é que entre três a quatro anos as agências do estado estejam padronizadas. Uma empresa será contratada para fazer uma cartilha, para que todas as lojas tenham o mesmo padrão. Lages foi piloto e a partir de agora, gradativamente, será implementada a inovação no resto do estado. 

A Celesc está presente em quase todos os 296 municípios catarinenses. Porém, ele assegura que ainda há muito o que evoluir e a ideia é trazer mais confiabilidade. “Ficamos muito tempo sem fazer os investimentos necessários para atender a demanda da população. Mesmo assim, fomos agraciados ano passado com o prêmio, recebido há três semanas em Brasília, como a melhor concessionária de distribuição de energia elétrica do País, mostrando que estamos no caminho certo”, pondera.

Na região, ao longo deste ano, a empresa planeja investir R$ 57 milhões, já aprovados no orçamento da estatal. No estado R$ 1,2 bilhão, entre investimentos e serviços para manutenção e operação da rede de distribuição da Santa Catarina.

 

Quedas de energia no campo

 

Poleto adianta que na área rural, além dos investimentos anunciados, há em andamento R$ 66 milhões de investimentos em todo o estado. Segundo ele, a falta de energia acontece, usualmente, por quedas de galhos nas redes e para combater esse problema foi criado o programa Celesc Rural, dedicado exclusivamente ao campo. Contudo, o setor vai receber mais incrementos.

Os editais já estão prontos e as empresas vencedoras conhecidas. Em breve a empresa vai investir mais R$ 40 milhões autorizados pelo Governo do Estado para aplicar na rede elétrica do campo.  “O governador Carlos Moisés entende que o campo precisa ser reforçado por meio do programa Celesc Rural. Além disso, o agronegócio é responsável por 30% do PIB de toda Santa Catarina”, explica.  Para ele, o campo tem que ser fortificado para que as pessoas se fixem, assim como seus filhos e netos para isso é preciso que a energia tenha confiabilidade.”

Estão sendo trocados os cabos nus por cabos protegidos. Paralelo a isso, a Celesc está comprando  equipamentos chamados de religadores ao custo de R$ 40 milhões. A intenção é chegar a 2.300 religadores, que restabelecem a energia em menos de três segundos evitando deslocamento de equipes da Celesc para a manutenção. 

 

Investimentos na Serra Catarinense

 

O desenvolvimento econômico dos municípios de São Joaquim, Bom Jardim da Serra e Urubici ampliou a demanda na região por energia elétrica. Para adequar sua estrutura a nova realidade, a Celesc anunciou que ampliará a subestação em São Joaquim, que passará dos atuais de 16,67 MVA para 26 MVA (Unidade de medida da potência elétrica aparente, equivalente a 1 milhão de voltampéres). A obra deve ser iniciada no segundo semestre deste ano, com investimento de R$ 3,5 milhões. 

Também estão sendo desenvolvidos, em fase inicial, os projetos de ampliação da usina Salto Weissbach, em Blumenau, da usina Maruim, em São José, e da Usina Salto Caveiras, em Lages. 

As propriedades rurais estão investindo em máquinas e equipamentos que demandam mais energia. Desta forma, dentro do planejamento, a Celesc incluiu a troca de redes monofásicas por trifásicas, que garantem maior fluxo de energia. 

 

Frases

 

A Celesc vive hoje um grande momento, além de ser uma empresa pública lucrativa atende todos os indicadores impostos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANNEL) tanto em qualidade como em continuidade de fornecimento e como não bastasse temos a energia mais barata do Brasil e para selar esta fase  fomos escolhidos pelo ANNEL como a melhor concessionária do Brasil na avaliação do cliente. É tudo que uma empresa almeja.

 

Gladimir Jeremias, gerente do Núcleo Planalto

 

“Uma empresa de energia elétrica seja ela qual capital tiver seja privada, pública ou de economia mista como é o caso da Celesc a finalidade principal dela existir é prover energia com confiabilidade para o desenvolvimento e bem- estar das pessoas. Temos que cumprir nossa função pública”

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com