Santa Catarina

Santa Catarina descarta casos suspeitos do coronavírus

Published

em

Foto: Divulgação

Atualização às 18h54 (29/1) – 

A Secretaria de Saúde Santa Catarina (SES) por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), informou há pouco que os dois casos suspeitos do coronavírus divulgados nesta quarta-feira (29), pelo Ministério da Saúde, foram descartados. Os resultados do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) deram positivo para Influenza B (gripe).

Os pacientes, um casal que mora em São José, viajaram no dia 26 de dezembro de 2019 e retornaram no dia 12 de janeiro de 2020. Eles partiram de São Paulo com destino a Bangkok, fizeram conexão em Madri e escala em Pequim, capital chinesa, onde passaram 12 horas.

A mulher de 29 anos começou a apresentar sintomas no dia 25 de janeiro e o homem, 28 anos, no dia 28. Ambos procuraram atendimento médico na terça, na UPA Continente em Florianópolis, com falta de ar, dores musculares, febre, tosse e coriza.

Após o atendimento, os pacientes tiveram alta e receberam instruções para permanecerem em isolamento em suas residências, sem receber visitas ou sair de casa para lugares públicos. O teste foi realizado pelo Lacen, que confirmou que eles foram infectados pelo vírus influenza B, da gripe.

Já são sete casos suspeitos no Brasil: Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Ceará. O médico infectologista da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE/SC), da Secretaria de Estado da Saúde, Fábio Gaudenzi, explica que a melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus.

“As medidas de prevenção são as mesmas adotadas para outros vírus respiratórios como o influenza, por exemplo, que são: lavar as mãos com água e sabão com frequência; evitar tocar os olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; evitar contato próximo com pessoas doentes; ficar em casa quando estiver doente; cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo; limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência”, alerta.

A Secretaria da Saúde também recomenda que viagens à China sejam evitadas. Isso porque não existe, até o momento, vacina para prevenir a infecção. Para aquelas pessoas que tenham viajado para o país asiático nos últimos 14 dias é importante ficar atento e procurar atendimento médico imediato em caso de febre acompanhada de pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros).

Casos suspeitos

Um caso é tratado como suspeito se a pessoa esteve na China nos últimos 14 dias e apresentou tosse e febre ao retornar. Neste caso, o paciente é colocado em isolamento e são realizados testes para checar, primeiro, se o que essa pessoa tem é influenza ou outra gripe. Caso os exames não acusem essa possibilidade, é feito o teste para coronavírus.

No momento, apenas o primeiro caso suspeito, da estudante de Minas Gerais, está na etapa de teste para coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, é possível que o resultado do teste seja conhecido na próxima sexta-feira (31).

Atualmente, 6.065 casos de coronavírus foram confirmados em todo mundo, sendo 5.997 somente na China, onde 132 pessoas já morreram. Não houve ainda nenhuma morte em outros países.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com