Coronavírus

Prefeitura questiona pesquisa nos bairros sem comunicação às autoridades

Published

em

Moradores de diferentes bairros da cidade foram abordados em suas casas, na tarde de quinta-feira (14), por pessoas que diziam estar realizando uma pesquisa em nome do Ibope Inteligência, com o objetivo de constatar possíveis casos de coronavírus na população.

A Prefeitura de Lages, por meio de uma nota oficial enviada à imprensa hoje pela manhã, informou que não foi comunicada de tal pesquisa e determinou que o trabalho fosse paralisado até que tivesse as informações adequadas para permitir os procedimentos.

NOTA OFICIAL – PREFEITURA DE LAGES

“A Prefeitura de Lages comunica, oficialmente, às 12h desta sexta-feira, dia 15 de maio de 2020, ter sido surpreendida na tarde anterior com relatos populares sobre uma pesquisa que estaria sendo feita na cidade com o objetivo de constatar possíveis casos de Coronavírus na população. Várias denúncias chegaram à Secretaria Municipal da Saúde por parte de moradores abordados em suas casas por pessoas que se apresentavam como técnicos do Ibope Inteligência e ofereciam um exame de sangue gratuito e de resultado imediato para diagnosticar a doença. Boa parte dos moradores recusou, mas entre os que aceitaram, ficou a preocupação pelo fato de os testes serem descartados em sacos plásticos comuns. Tão logo começaram a chegar as informações, a Secretaria Municipal da Saúde, sem saber do assunto, passou a investigar o caso. Outras prefeituras, bem como o Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde, foram consultados, e ninguém sabia de nada. À noite, descobriu-se que se tratava de uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Rio Grande do Sul. O trabalho, intitulado “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional”, é apoiado financeiramente pelo Ministério da Saúde e executado em 133 municípios do Brasil, dentre os quais, Lages. Já na manhã desta sexta, a Secretaria Municipal da Saúde teve acesso a um ofício enviado no último dia 12 pelo Ministério da Saúde à Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, informando sobre a pesquisa e solicitando a comunicação imediata aos Municípios, o que, no caso de Lages, não ocorreu. A Secretaria Municipal da Saúde reconhece a validade do trabalho, mas discorda totalmente da forma como está sendo praticado, sem prévio conhecimento, o que gerou transtornos e insegurança entre a população. Repudia-se também a realização da pesquisa sem critérios logísticos locais, como a devida identificação dos técnicos e a ampla divulgação entre os moradores. Além do descarte inadequado dos testes em sacos plásticos, outra preocupação é sobre a contabilização dos casos eventualmente confirmados na pesquisa, sendo que nada chegou a conhecimento da Secretaria Municipal da Saúde, que efetivamente contabiliza e divulga oficialmente os dados. Na manhã desta sexta-feira, a Vigilância Sanitária e a Polícia Militar foram às ruas de Lages para localizar e identificar os profissionais que executam a pesquisa. A Secretaria Municipal da Saúde proibiu a pesquisa em Lages e orienta os moradores a não realizarem o exame até que a Prefeitura faça uma nova comunicação oficial.

Prefeitura de Lages/SC, 15 de maio de 2020.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com