Notícias

Nova ala do Tereza Ramos será aberta só em 2020

Published

em

A audiência lotou o plenário da Câmara de Vereadores - Foto: Adecir Morais

O secretário de Estado de Saúde, Helton Zeferino, afirmou que a nova ala do Hospital Tereza Ramos, em Lages, será aberta “a partir do segundo semestre do ano que vem”. A informação foi passada na noite de quarta-feira (18), durante uma audiência pública na Câmara de Vereadores do município para discutir o tema. Zeferino afirmou que houve denúncias do que ele chamou de “inconsistências” nas obras, e o caso será apurado por uma auditoria.

Durante a audiência, que foi proposta pelo vereador Lucas Neves (PP), Zeferino falou sobre a situação da nova ala, que passa por obras desde 2013 e era para ser entregue em 2015. Lembrou que, no ano passado, houve denúncias no Ministério Público de supostas irregularidades na execução dos serviços. Por conta disso, uma sindicância foi realizada e o Governo do Estado foi aconselhado a fazer uma auditoria para apurar a situação.

Após ser bastante cobrado durante a audiência em relação ao funcionamento do novo prédio, Zeferino, que falou sobre outros assuntos relacionados aos serviços de saúde pública na região serrana, disse que a abertura da unidade será feita em etapas. Antes disso, porém, é preciso concluir as obras que, segundo ele, estão com 94% dos serviços concluídos.

A abertura da nova ala do Hospital Tereza Ramos é tida como essencial para a saúde pública em Lages e região. A medida deverá desafogar o atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 de Lages, que foi inaugurada há dois meses e já sofre com a superlotação de pacientes aguardando vagas para internação em hospitais da cidade. 

Obras

A parte física do novo prédio do Hospital Tereza Ramos teve um custo de R$ 86 milhões, pagos pelo Governo do Estado por intermédio do programa Pacto da Saúde. Já as passarelas, que ligam a nova e a antiga ala, custaram R$ 3.174.552,81. Os móveis foram adquiridos por R$ 1.392.077,00. Além disso, foi realizada uma licitação de R$ 11 milhões para a compra de aparelhos, como instrumentos médicos e outros itens. O processo de aquisição destes equipamentos está em andamento.

Com a ampliação, o hospital deve se tornar um dos mais modernos do Estado e melhorar o seu trabalho como centro de referência para o tratamento de câncer. Hoje, são 10 leitos de UTI que atendem a uma população de 800 mil pessoas. Com a ampliação, as vagas serão triplicadas, assim como as vagas de leitos normais, número de cirurgias com a abertura de um novo centro cirúrgico, com 10 salas e atendimento de urgência e emergência. Zeferino afirmou que a nova unidade demandará a contratação de 900 servidores.

clique para comentar

Deixe uma resposta