Segurança

Militares fazem ato para cobrar reposição salarial

Published

em

Manifestantes se concentraram em frente ao Mercado Público, onde o governador Carlos Moisés cumpriu agenda - Foto: Adecir Morais

Diante da visita do governador do Estado, Carlos Moisés da Silva, a Lages, na quinta-feira (20), um grupo de cerca de 50 militares, a maioria policiais, fez um protesto em vários pontos da cidade. A categoria reivindica reajuste salarial. O ato pacífico foi organizado pela Associação de Praças do Estado de Santa Catarina (Aprasc).

Primeiramente, os manifestantes se reuniram na Rua Otacílio Vieira da Costa, em frente à Câmara de Vereadores. Em seguida, com cartazes, usando nariz de palhaço e apitos, caminharam até o Mercado Público Municipal, onde o governador cumpriu agenda, já que as obras do local são executadas com recursos do Governo do Estado.

Embaixo do sol forte, o grupo se concentrou na Rua Hercílio Luz, em frente ao Mercado. Estrategicamente, porém, Carlos Moisés chegou ao local pela Rua Manoel da Silva Ramos, evitando, assim, o contato com os manifestantes. À tarde, o grupo também protestou em frente ao Órion Parque e ao Hospital Tereza Ramos, onde o governador cumpriu agenda.

De acordo com sargento Sobrinho, sócio da Aprasc, os militares reivindicam 40% de reajuste salarial. Este percentual seria referente às perdas salariais dos últimos seis anos. “Não temos nada contra o governador, só estamos reivindicando os nossos direitos”, ressaltou Sobrinho, salientando que a luta da categoria já vem desde o ano passado.

“Queremos demonstrar nossa insatisfação em relação à questão salarial. Em nenhum momento o governador sentou com a categoria para negociar. Vamos aumentar os protestos em todas as regiões do Estado. Enquanto o governador não sentar para apresentar uma proposta plausível de reconhecimento da categoria, não vamos dar folga para ele”, finalizou.

Ao ser questionado sobre o tema, o governador destacou que o governo não pode oferecer o que não tem e que é preciso construir uma solução. “Não adianta fazer como em outros estados, oferecer aumentos e sequer estar honrando os compromissos com folha de pagamento”, disse.

Moisés ressaltou que o governo está disposto a negociar o reajuste salarial em 2020. “As negociações avançam, eu tenho certeza que esses servidores da segurança pública têm muito valor, mas também têm esta compreensão de que o Estado está passando por uma reformulação. Nós estamos economizando, cortando gastos e colocando o estado num equilíbrio financeiro e fiscal, que é o que nós precisamos fazer”, completa.

À tarde, em sua passagem pelo Órion Parque, o governador já havia falado sobre a reposição salarial dos servidores estaduais. Segundo ele, o assunto é tratado pela Secretaria de Estado da Administração juntamente ao Núcleo de Negociação, que estão fazendo propostas a serem apresentadas para as entidades representativas, com atenção especial a três setores: segurança pública, saúde e educação, que o governador definiu como “setores fundamentais para tocar o governo”.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Sebastião

    21/02/2020 at 17:45

    Conheço a situação dos PM, Dos Bombeiros e seus familiares;! Situação crítica pois as perdas são visíveis e olha que esses profissionais tem vida atípica Áos demais servidores. Nossa segurança precisa de atenção por parte do governo.

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto:
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: