Segurança

Militares fazem ato para cobrar reposição salarial

Published

em

Manifestantes se concentraram em frente ao Mercado Público, onde o governador Carlos Moisés cumpriu agenda - Foto: Adecir Morais

Diante da visita do governador do Estado, Carlos Moisés da Silva, a Lages, na quinta-feira (20), um grupo de cerca de 50 militares, a maioria policiais, fez um protesto em vários pontos da cidade. A categoria reivindica reajuste salarial. O ato pacífico foi organizado pela Associação de Praças do Estado de Santa Catarina (Aprasc).

Primeiramente, os manifestantes se reuniram na Rua Otacílio Vieira da Costa, em frente à Câmara de Vereadores. Em seguida, com cartazes, usando nariz de palhaço e apitos, caminharam até o Mercado Público Municipal, onde o governador cumpriu agenda, já que as obras do local são executadas com recursos do Governo do Estado.

Embaixo do sol forte, o grupo se concentrou na Rua Hercílio Luz, em frente ao Mercado. Estrategicamente, porém, Carlos Moisés chegou ao local pela Rua Manoel da Silva Ramos, evitando, assim, o contato com os manifestantes. À tarde, o grupo também protestou em frente ao Órion Parque e ao Hospital Tereza Ramos, onde o governador cumpriu agenda.

De acordo com sargento Sobrinho, sócio da Aprasc, os militares reivindicam 40% de reajuste salarial. Este percentual seria referente às perdas salariais dos últimos seis anos. “Não temos nada contra o governador, só estamos reivindicando os nossos direitos”, ressaltou Sobrinho, salientando que a luta da categoria já vem desde o ano passado.

“Queremos demonstrar nossa insatisfação em relação à questão salarial. Em nenhum momento o governador sentou com a categoria para negociar. Vamos aumentar os protestos em todas as regiões do Estado. Enquanto o governador não sentar para apresentar uma proposta plausível de reconhecimento da categoria, não vamos dar folga para ele”, finalizou.

Ao ser questionado sobre o tema, o governador destacou que o governo não pode oferecer o que não tem e que é preciso construir uma solução. “Não adianta fazer como em outros estados, oferecer aumentos e sequer estar honrando os compromissos com folha de pagamento”, disse.

Moisés ressaltou que o governo está disposto a negociar o reajuste salarial em 2020. “As negociações avançam, eu tenho certeza que esses servidores da segurança pública têm muito valor, mas também têm esta compreensão de que o Estado está passando por uma reformulação. Nós estamos economizando, cortando gastos e colocando o estado num equilíbrio financeiro e fiscal, que é o que nós precisamos fazer”, completa.

À tarde, em sua passagem pelo Órion Parque, o governador já havia falado sobre a reposição salarial dos servidores estaduais. Segundo ele, o assunto é tratado pela Secretaria de Estado da Administração juntamente ao Núcleo de Negociação, que estão fazendo propostas a serem apresentadas para as entidades representativas, com atenção especial a três setores: segurança pública, saúde e educação, que o governador definiu como “setores fundamentais para tocar o governo”.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Sebastião

    21/02/2020 at 17:45

    Conheço a situação dos PM, Dos Bombeiros e seus familiares;! Situação crítica pois as perdas são visíveis e olha que esses profissionais tem vida atípica Áos demais servidores. Nossa segurança precisa de atenção por parte do governo.

Deixe uma resposta para Sebastião Cancelar resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto:
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: