Negócios

Lages fechou o mês março com saldo positivo em geração de empregos

Published

em

Em Lages, o setor de Construção Civil foi destaque na geração de empregos no mês de março - Foto: Susana Küster / Arquivo CL

Enquanto o Brasil apresentou saldo negativo na geração de empregos no mês de março, Lages abriu 160 novos postos de trabalho formal no período, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na última quarta-feira (24) pelo Ministério da Economia. Foram contratados pelas empresas do município 1.619 funcionários e demitidos 1.459.

Conforme os números, em Lages, a Construção Civil foi o segmento que mais contratou no período, abrindo 127 postos de trabalho. Na sequência ainda aparecem a indústria de transformação que abriu 71 vagas. O setor de Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca foi quem mais demitiu, fechando 51 postos de trabalho.

De acordo com o secretário o Desenvolvimento Econômico e Turismo de Lages, Mario Hoeller de Souza (Marião), o saldo positivo na geração de empregos é o reflexo das empresas que estão acreditando e investindo mais no seu negócio. Com isso, a tendência é que a geração de empregos continue crescendo. Exemplo disso, é o Fort Atacadista que deverá ser entregue até dezembro deste ano com 250 empregos diretos.

Desempenho na Serra

Os municípios da Serra Catarinense geraram 2.855 novos postos de trabalho no mesmo período, e fecharam 2.599 vagas. Entre as cidades com maior saldo na geração de empregos está São Joaquim, onde foram criadas 175 novas vagas. Da listagem divulgada pelo Caged, Bom Retiro foi cidade que mais teve demissões, totalizando 147 e apenas 76 contratações.

No Estado

De acordo com o Caged, após dois meses com saldo positivo na geração de empregos, Santa Catarina voltou a ter mais demissões do que adimissões. Em março foram fechadas 2.976 vagas de trabalho. Porém, o Estado mantém saldo positivo no trimestre (janeiro/fevereiro/março) com 42.485 novos postos de trabalho formal.

No Brasil

Números do Caged apontam que o mercado formal de trabalho apresentou um saldo negativo de 43.196 empregos com carteira assinada em março de 2019. O saldo é resultante de um total de 1.216.177 admissões e de 1.304.373 demissões no período. Sendo o primeiro resultado negativo em três meses.

A última vez que o País, registrou demissões foi em dezembro de 2018, quando houve o fechamento de 341.621 postos com carteira assinada. Em janeiro, o saldo do número de vagas formais havia ficado positivo, com 34.313 admissões e fevereiro com 173.139. Com isso, no acumulado do trimestre, o saldo está em 164.256 admissões.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta