Coronavírus

Inter e Leoas vivem cenário de incertezas

Published

em

No futebol profissional, a FCF negocia a retomada da Série A em maio Foto: Adecir Morais/Arquivo/CL

A data de retorno das competições esportivas em Santa Catarina, paralisadas no mês passado em função da crise do novo coronavírus, ainda é uma incógnita.

Até que há movimentos no sentido da retomada do planejamento das atividades, mas o cenário ainda é de incertezas.

Em Lages, o Colorado Lageano aguarda as decisões para definir os próximos passos visando à disputa do estadual da Série B.

Em relação ao futsal, a situação também está indefinida e as Leoas da Serra, uma das principais equipes de futsal feminino do Brasil, já enfrentam dificuldades por causa da paralisação.

No futebol profissional, o Campeonato Catarinense da Série A foi paralisado após as partidas da última rodada em 15 de março.

Avaí, Brusque, Figueirense, Marcílio Dias, Criciúma, Juventus, Joinville e Chapecoense já asseguraram vaga nas quartas de final. Noutra ponta da tabela, Concórdia e Tubarão iriam se enfrentar para decidir o clube rebaixado.

O diretor de Competições Especiais da FCF, Carlos Crispim, disse que a federação negocia com o Governo do Estado a liberação do mata a mata-mata da Série A, mesmo com os portões fechados, vez que a quarentena foi prorrogada até 31 de maio. “Dependemos da liberação do governo”, disse Crispim.

Em relação ao estadual da Série B, que estava previsto para começar o fim de maio, a FCF já tem um plano. Crispim ressaltou que a federação vai definir nova data para início, após o retorno das atividades.

A competição será disputada por 10 clubes, dentre eles, o Inter de Lages. A expectativa é que o torneio aconteça somente no segundo semestre.

O vice-presidente do Inter, Patrick Cruz, declarou que, enquanto aguarda uma posição em relação ao calendário do torneio, o clube segue trabalhando com vistas às disputas.

Segundo ele, a direção do Leão Baio tem feito contato com jogadores e com patrocinadores que poderão fazer parte do projeto do clube para a temporada de 2020, entretanto, depende da redefinição do calendário para avançar nas negociações.

O novo coronavírus também afetou o planejamento das equipes de futsal. No caso do Leoas da Serra, que vive a expectativa da partida de volta da Supercopa Brasil de Futsal Feminino contra Taboão da Serra, o cenário é de indefinição.

Conforme o diretor da equipe, Maurício Neves de Jesus, o grupo ainda não sabe quando poderá retomar as atividades com a presença do público.

Ele explicou que, apesar da paralisação provocada pela pandemia da Covid-19, as jogadoras do time continuam realizando atividades em casa.

Pela manhã, elas praticam treinos físicos e, à tarde, atividades táticas. Já as goleiras têm treinos específicos à distância.

Maurício disse que a instituição entende que, neste primeiro momento, a integridade física das pessoas é o mais importante em meio à crise do novo coronavírus.

Uma das preocupações da direção do Leoas diz respeito à situação financeira da instituição. Maurício afirmou que o grupo perdeu um dos patrocinadores, no valor de R$ 20 mil, e está enfrentando dificuldades para arcar com seus compromissos financeiros, principalmente para pagar a folha.

Para contornar os problemas, o grupo planeja realizar promoções para arrecadar dinheiro, assim que as atividades voltarem ao normal.

clique para comentar

Deixe uma resposta