Geral

Sesc encerra parceria com projeto Fábrica de Gaiteiros

Published

em

Foto: Núbia Garcia

Após três anos de parceria, o projeto Fábrica de Gaiteiros, do Instituto Renato Borghetti de Cultura e Música, vai deixar de ser oferecido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) em Lages. A decisão pela interrupção do convênio foi anunciada pelo Sesc na semana passada.

De acordo com o gerente da entidade em Lages, Cláudio Souza, como o cenário que se desenha prevê cortes do Governo Federal para o Sistema S em 2020, o Sesc Santa Catarina está fazendo readequações e extinguindo programas que são muito onerosos. Por isso, alguns programas do setor Cultural, como a parceria com o Instituto Renato Borghetti, serão encerrados a partir do próximo ano.

Contudo, o Sesc de Lages continuará oferecendo aulas de gaita ponto para crianças e manterá as bolsas para alunos que são de famílias de baixa renda. “A Fábrica de Gaiteiros é um projeto muito bacana. Lamentamos encerrar a parceria, mas as aulas de gaita ponto do Sesc vão continuar.”

Segundo Cláudio, a decisão pela continuidade da oferta de bolsas já foi aprovada pelo Departamento Regional do Sesc e, nas próximas semanas, a unidade de Lages fará a matrícula dos alunos que, atualmente, integram o projeto de Borghetti, para as aulas diretamente com o Sesc em 2020.

As aulas da Fábrica de Gaiteiros se encerram em 18 de dezembro e, a partir de fevereiro, os alunos voltarão a ter aulas, porém em um projeto do próprio Sesc, sem a marca de Renato Borghetti. Rafael Avila Lopes é pai de um dos alunos do projeto e temeu pelo fim das aulas de gaita ponto. “É um projeto excelente, que atinge às crianças de forma muito positiva, aumentando a concentração, o conhecimento musical e cultural e desenvolvendo as aptidões artísticas de cada criança”, comenta.

Renato Borghetti quer que o projeto continue em Lages

A gaita ponto é um instrumento de difícil execução e ameaçado de extinção pela falta de artistas que o utilizem. O projeto da Fábrica de Gaiteiros nasceu com o intuito de fomentar esta forma de arte para não deixá-la morrer.

Desenvolvido pelo Instituto Renato Borghetti de Cultura e Música, o projeto prevê, além das aulas gratuitas de musicalização para crianças e adolescentes, a fabricação de acordeons diatônicos (gaita ponto). O instituto fabrica o instrumento, cujo custo de aquisição é alto, com o objetivo de emprestá-los para que os alunos os utilizem nas aulas, sem custo.

Até o fim do ano, o projeto acontece nos municípios gaúchos de Guaíba, Barra do Ribeiro, Porto Alegre, Tapes, Butiá, São Gabriel, Bagé e Lagoa Vermelha; e em Santa Catarina nas cidades de Lages e Blumenau, envolvendo mais de 500 crianças e adolescentes com idades entre 7 e 15 anos.

O músico Renato Borghetti, que foi o idealizador do projeto e atualmente preside o instituto, afirma que o anúncio do rompimento da parceria com o Sesc em Lages é bastante recente, porém, pretende analisar uma forma de viabilizar a continuidade do projeto na cidade, buscando outras parcerias.

“Acredito que deve ter sido uma decisão bastante difícil pro Sesc, porque eu sei que eles também apoiam esse projeto. Mas a gente quer que o projeto se mantenha em Lages e vamos fazer toda a força pra isso. Sou um otimista, então acho que a gente encontra alguma forma de fazer isso”, completa.

 

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com