Notícias

Sem suspeitos no arrombamento em caixa eletrônico

Published

em

Foto: PC/Divulgação

O terreno com plantação (milho e soja) nos fundos do prédio onde fica o Posto de Atendimento do Banco do Brasil, em Bocaina do Sul, facilitou o acesso dos criminosos que arrombaram o caixa eletrônico.

Ninguém viu nada, embora o local tenha câmera de videomonitoramento e alarme. O estranho é que a Rua Henrique Assink é bem habitada e fica no centro da cidade, conforme relatou a equipe da Delegacia de Polícia do Município (Depmu). O prédio tem dois andares e está em construção. No segundo andar não há morador e o único estabelecimento funcionando no térreo é o Posto de Atendimento do BB .

Ainda, segundo a Delegacia, a ação aconteceu entre sábado (30) e domingo (1º), o alarme não disparou e para arrombar o caixa eletrônico foi usado um maçarico. A gerência do banco não informou a quantia levada na ação. 

Como a Depmu está vinculada à Lages, a 2ª Delegacia de Polícia de Lages, vai instaurar o inquérito policial para descobrir a autoria do crime. “Vamos apurar o caso”, disse o Delegado Marcio Schutz.

O crime foi descoberto na manhã de domingo quando um cliente foi utilizar os serviços do banco e encontrou cédulas queimadas espalhadas pelo chão. Ele avisou a Polícia Militar da cidade, que acionou a Polícia Civil, por sua vez contactou o Departamento de Investigação Criminal (DIC ) e o Instituto Geral de Perícias (IGP) e PM de Lages. 

Crime recorrente 

Em 10 de maio de 2018, na madrugada de um sábado o mesmo local onde fica o caixa eletrônico foi arrombado. A investigação ainda está em andamento e autoria não identificada.

A dificuldade reside no modo como a ação foi orquestrada. Nas imagens aparecem duas pessoas encapuzadas, com luvas e touca balaclava e um deles andava com um guarda-chuva e assim desligou as câmeras. Na época ele abriram um cofre com a ajuda de chave de fendas e pé de cabra. A quantia que estava no cofre não foi divulgada pelo Banco do Brasil.

clique para comentar

Deixe uma resposta