Turismo

Rodeio de Santa Isabel reúne apaixonados pelo tradicionalismo

Published

em

Fotos: Patrícia Vieira

Depois de três dias de festa, terminou neste domingo (12) a 53ª edição do Rodeio de Santa Isabel, no Parque Nenzo Sá, interior de São Joaquim, na Serra Catarinense, do CTG Mangueira Velha. De acordo com os organizadores, a festa tradicionalista foi um sucesso. Nem mesmo a chuva, que ocorreu durante a abertura do rodeio, na sexta-feira (10), tirou o ânimo dos tradicionalistas. Pois, nos demais dias, o tempo colaborou com o andamento do evento.

Considerado um dos principais eventos tradicionalistas do Estado de Santa Catarina, o rodeio contou com uma programação bem diversificada, atraindo um público de todas as idades. Na parte campeira, o torneio de laço atraiu equipes de várias cidades catarinenses.

Na cancha, competidores de todas as idades mostraram habilidade em cima do cavalo e no manuseio do laço. As disputas envolveram laçadores de várias categorias, com premiação aos vencedores.

A patroa do CTG Mangueira Velha, Ana Melo, pontua que o principal objetivo é fazer um Rodeio que reúna famílias e amigos. Mesmo sem o oferecer o arroz carreteiro, que era tradicionalmente servido sem custos na abertura do evento e a redução dos dias da festa, enxugando a programação musical e cultural, a 53ª edição atraiu um bom número de participantes e admiradores do tradicionalismo. “Ficamos muito satisfeitos e queremos agradecer a todos que participaram e apoiaram a nossa festa”, declarou.

Ana, que ficou dois anos à frente do Mangueira Velha, entrega a patronagem do CTG, em setembro deste ano, e sai com a sensação dever comprido. “Sei que a estrutura do parque precisa de uma boa reforma, mas fiz o que estava a meu alcance”, ressalta.

Competições para todas a idades

Dentre as atrações, a que também chamou a atenção e atraiu os olhares dos visitantes, foi a laçada de vaca parada, dedicada para piazinho, piazito, bonequinha e menininha. Onde as crianças deram show de habilidade e simpatia. Para orgulho da mãe Priscila Borges de Sá, o pequeno José Pedro de Sá, de apenas 1 ano e 1 mês de idade, bisneto do tradicionalista Nenzo Sá (um dos fundadores do Mangueira Velha) foi pura fofurice ao tentar laçar a vaca parada na competição, que reuniu 14 lançadores até 6 anos de idade.

Superação a cada ano

Para os tradicionalistas de Urupema, Marcelo Arruda e Carla Arruda, casados há 16 anos, o evento se supera a cada ano. Eles, que frequentam o Parque Nenzo Sá há mais de 25 anos, comentam que sentiram falta do tradicional carreteiro que era servido aos convidados no primeiro dia da festa.

“Já era cultural ver aquele arroz carreteiro do Rodeio de Santa Isabel, sendo preparados nos tachos por várias pessoas”, disse Marcelo, que também é patrão do Piquete Coração Gaúcho, do município de Urupema, fundado há 48 anos, pelo seu pai Zezé Pinto. Além disso, ele faz questão de convidar os tradicionalistas para o seu torneio de laço que se realizará nos dias 15 e 16 de fevereiro, em sua cancha na Comunidade do Cedrinho.

O pequeno José Pedro de Sá, de apenas 1 ano e 1 mês de idade, bisneto do tradicionalista Nenzo Sá, traz desde o berço a paixão pelos rodeios

O casal de tradicionalistas de Urupema, Marcelo Arruda e Carla Arruda, frequentam o Parque Nenzo Sá, há mais de 25 anos

Além dos laçadores, o evento atraiu jovens que curtem o tradicionalismo

Ana Florêncio de Melo Arruda, de 64 anos, à frente do CTG Mangueira Velha a dois anos, entrega a patronagem em setembro

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com