Conecte-se a nós

Notícias

Reforma administrativa não gerará custos ao município, diz vereador

Published

em

Após ser aprovado na Câmara, o projeto seguirá para sanção do Executivo - Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Lages votou na sessão de ontem projeto que trata sobre a reforma administrativa do município. O projeto prevê a criação de sete e a extinção de oito cargos comissionados na administração. As mudanças, no entanto, não gerarão impacto na folha do funcionalismo, pois apenas possibilitarão uma reorganização administrativa na prefeitura.

De acordo com o texto, serão criados os cargos de diretor de Saneamento e Resíduos Sólidos, coordenador de Atendimento, executivo de Assuntos Comunitários, diretor Administrativo e Financeiro de Secretaria de Planejamento e Obras, diretor de Infraestrutura e Vias Urbanas, gerente Administrativo da Secretaria de Saúde e coordenador Administrativo da Secretaria de Educação.

Por outro lado, o município está extinguindo os cargos de executivo de Coordenação de Segurança e Trânsito, gerente de Segurança, gerente de Trânsito e Financeiro da Secretaria de Obras, executivo de Coordenação e Habitação da Secretaria de Assistência Social e Habitação, dois cargos de Coordenador Jurídico da Procuradoria Geral do Município, gerente de Biblioteca da Secretaria de Educação e diretor de Infraestrutura do Interior da Secretaria de Agricultura e Pesca.

Do ponto de vista de estrutura organizacional, o projeto apresenta importantes mudanças.  Algumas atribuições da Secretaria de Meio Ambiente, que dizem respeito à gestão dos resíduos sólidos (lixo), passarão para a Secretaria de Águas e Saneamento (Semasa).  Eis aí a justificativa para criação de cargos na Semasa.

Segundo o presidente da comissão de Finanças da Câmara, vereador Lucas Neves (PP), apesar de promover importantes mudanças na parte organizacional, o projeto não gerará impacto financeiro na folha de pagamento do funcionalismo, isso porque ao mesmo tempo em que está criando sete, está extinguindo outros oito cargos.

Após ser apreciado na Câmara, o projeto seguirá para sanção do Executivo. Procurado para comentar a criação de cargos na Semasa, ontem, o secretário da pasta Jurandi Agostini disse que apenas o prefeito Antonio Ceron  poderia comentar o assunto.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que apenas na reorganização de uma área o município irá economizar cerca de R$ 2 mil. “A prefeitura está criando o cargo de diretor de saneamento, cujo salário será de R$ 5.272,97 e extinguindo o de executivo da Diretran, cujo salário é de R$ 7.272,01”, informou a assessoria.

Cargos criados

  • 3 diretores
  • 1 executivo
  • 1 gerente
  • 1 coordenador administrativo
  • 1 coordenador de atendimento

Total: 7

Cargos extintos

  • 2 executivos
  • 1 diretor
  • 3 gerentes
  • 2 coordenadores jurídicos

Total: 8

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: