Conecte-se a nós

Notícias

Para bombeiro de Lages, a cada dia trabalho é mais difícil

Published

em

Foto: Divulgação

Desde dia cinco deste mês, o  soldado Luciano Rangel e o cão Barney auxiliam no resgate das vítimas do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho em Minas Gerais. Nesta segunda-feira (11) outros quatro militares do 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares de Lages se juntam a força- tarefa no estado mineiro. Rangel de Barney retornam para Lages na quarta-feira (13).

O soldado Rangel contou que o trabalho com o cão Barney segue os padrões internacionais recomendados pela Organização das Nações Unidas (ONU), na qual dois cães trabalham juntos, um aponta o local onde pode estar uma vítima, e o outro faz a confirmação.

E segundo ele, a cada dia que passa o trabalho fica mais difícil pois a quantidade de corpos diminui e a dificuldade aumenta. Um trabalho árduo que exige muito esforço físico, causa estresse e sob temperatura muito alta. Rangel disse que nos primeiro foi preciso trabalhar 12 horas ininterruptas. “Não temos contato com os parentes das vítimas, mas sabemos que estamos os ajudando”, explica ele, sobre a frustração de não poder dar uma notícia positiva aos familiares.

Desde que chegou em Brumadinho a dupla enfrentou um ritmo frenético nas buscas, mas agora a dinâmica está reduzindo aos poucos. “Localizamos vários fragmentos. Corpos são difíceis”, afirma. Apesar de trabalhar com um cão treinado, o que facilita a procura, a lama tem sido um obstáculo constante nessas tentativas “A lama cria uma cápsula em volta dos odores”, assegura. Todo os dias Barney toma banho com  a equipe especializada e os bombeiros passam por cabine de desinfecção. Ainda não foi definido o retorno da dupla para Lages. Atualmentente, aproximadamente 220 bombeiros de Minas e outros estados estão trabalhando no resgate

Reforço do 5º Batalhão de Lages

Outros quatro bombeiros militares, o  1º tenente Rubens José Babel Junior, o cabo Giovane José Giacomini e os soldados Diego Moreira e André Fortuna Figueiredo de Souza, viajam nesta segunda-feira (11) para Brumadinho. Eles atuarão na operação por um período entre oito e dez dias e, em seguida, também voltam para Santa Catarina. Os quatro são os  que possuem formação no curso de Resgate com Intervenção em Áreas Deslizadas. Ao todo, o 5º Batalhão conta com 17 especialistas neste tipo de resgate, mas, inicialmente, apenas cinco irão a Brumadinho.

O comando possui efetivo que são referências na execução e gerenciamento de ocorrências desta natureza, ou seja, capacitados para atuar em áreas deslizadas, devido a alta incidência de intempéries que acometem Santa Catarina. Além disso eles são experientes tanto na teoria quanto na prática, norteada por padrões Internacionais (por meio do Grupo Consultor Internacional de Busca e Resgate da ONU).  Já os cães de resgate possuem certificação internacional e nacional, assegurando a excelência na missão assumida atuando nos piores cenários de busca, salvamento e resgate.

Tragédia chega ao 18ª dia

O rompimento da barragem da Vale, aconteceu dia 25 de janeiro em Brumadinho, em Minas Gerais. Segundo dados oficiais até sábado, 16 dias após a tragédia  foram registrados 157 mortos e 165 pessoas estavam desaparecidas.

 

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: