Conecte-se a nós

Negócios

Número de feriados impacta na economia nacional

Published

em

Turismo sofre quedas com a diminuição dos feriados prolongados - Foto: Suzani Rovaris

Ao contrário de 2018, que teve ao menos 10 feriados prolongados, em 2019, poderão ser apenas seis. Além disso, quatro feriados nacionais serão em finais de semana. Na teoria, significa que os brasileiros terão menos tempo para descansar, na prática, a quantidade menor de feriados ou pontos facultativos tem impacto direto em setores como turismo, comércio e indústria.

Se para o comércio e a indústria os feriados, especialmente os prolongados, podem ser sinônimo de prejuízo, para o turismo não é. De acordo com o presidente da Santur, Valdir Walendowsky, Santa Catarina tem uma excelente produção turística em todas as regiões, mas é necessário investir na promoção deste potencial.

“Por isso, precisamos nos debruçar mais no trabalho de promoção do turismo do Estado, para motivar os turistas a virem para cá mesmo sem muitos feriados prolongados. São várias ações a serem feitas pelo Estado para que Santa Catarina esteja no imaginário do turista e seja seu destino,” comenta.

Para a turismóloga da Secretaria de Turismo de Lages, Ana de Liz Vieira, os feriados e pontos facultativos são muito positivos para o turismo, principalmente quando se trata do turismo de lazer. “Em 2018, os feriadões impactaram positivamente na Serra Catarinense, em se tratando de hotéis e turismo de lazer. Mas Lages, por exemplo, tem um perfil diferente, porque além dos hotéis de lazer, tem os hotéis convencionais. Estes, nos feriadões, têm queda no movimento porque as pessoas que viajam a negócios vão para outros destinos”, afirma. Para ela, com menos feriados, com certeza, os hotéis de lazer serão impactados em relação ao ano passado.

A secretária de Indústria, Comércio e Turismo de Urubici, Simone Vieira, concorda que os feriados são positivos, porém, aponta como ponto negativo a aglomeração de turistas na pequena cidade em períodos de feriados prolongados. Segundo ela, o grande acúmulo de pessoas na cidade, na mesma data, provoca certo tumulto. “Feriados são importantes, mas quando os turistas vêm de forma gradativa, a gente consegue mensurar e atender com mais qualidade a todos,” analisa.

Ela acredita que a redução dos feriadões em 2019 não deve gerar impactos profundos no turismo de Urubici, especialmente por se tratar de um turismo voltado para a natureza. “Por este motivo, o turismo da cidade não depende só do frio ou de feriados prolongados para sobreviver. Um bom exemplo é que estamos com uma ocupação extraordinária e inédita para este período do ano, justamente porque as pessoas vêm atraídas pelas águas, rios e cachoeiras. Para que possam usufruir de um banho refrescante e fazer atividades ao ar livre, estes turistas só precisam de dias mais quentes”, completa.

Efeitos negativos para comércio e indústria

Um estudo apresentado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio/SP) aponta que o varejo nacional deve perder R$ 7,6 bilhões em 2019 por conta dos feriados e pontos facultativos. Apesar de alto, o montante é 32% menor que os R$ 11,2 bilhões estimados em 2018.

O vice-presidente da Fecomércio em Santa Catarina, Célio Spagnoli, explica que o impacto dos feriados é negativo porque a cada dia fechado, o comércio perde vendas. “Um feriado prolongado representa uma cidade parada e, por consequência, sem rendimento porque perdemos um dia útil. Somos um Estado bastante diversificado em atividades comerciais. O Litoral, em época de calor, vende muito mais em feriados prolongados porque há o deslocamento das pessoas do interior. Por outro lado, em regiões menos turísticas, como a Serra, certamente há um prejuízo grande, talvez até maior do que a média nacional”, avalia.

O vice-presidente regional da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) em Lages, Israel Marcon, ratifica que os feriados, sejam prolongados ou não, também impactam consideravelmente na indústria, não apenas por causa da diminuição da produção, mas pela demora na entrega de produtos.

“Isso [feriados] acaba afetando órgãos dos quais dependemos, como os federais e estaduais, que muitas vezes optam por fazer feriados prolongados, o que gera um atrapalho considerável na produção. É interessante para o turismo, mas afeta fortemente outros setores.”

Feriados nacionais e pontos facultativos de 2019

1º de janeiro (terça-feira) – Confraternização Universal – feriado nacional

4 de março (segunda-feira) – Carnaval – ponto facultativo

5 de março (terça-feira) – Carnaval – ponto facultativo

6 de março (quarta-feira) – Quarta-feira de Cinzas – ponto facultativo até as 14 horas

19 de abril (sexta-feira) – Paixão de Cristo – feriado nacional

21 de abril (domingo) – Tiradentes – feriado nacional

1º de maio (quarta-feira) – Dia do Trabalhador – feriado nacional

20 de junho (quinta-feira) – Corpus Christi – ponto facultativo

7 de setembro (sábado) – Independência do Brasil – feriado nacional

12 de outubro (sábado) – Nossa Senhora Aparecida – feriado nacional

28 de outubro (segunda-feira) – Dia do Servidor Público – ponto facultativo

2 de novembro (sábado) – Finados – feriado nacional

15 de novembro (sexta-feira) – Proclamação da República – feriado nacional

24 de dezembro (terça-feira) -Véspera de Natal – ponto facultativo após às 14 horas

25 de dezembro (quarta-feira) – Natal – feriado nacional

31 de dezembro (terça-feira) – véspera de ano novo – ponto facultativo após às 14 horas

Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Número de feriados impacta na economia nacional – CLMais – Correio Lageano | Economia

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: