Conecte-se a nós

Esportes

Lageanos estão otimistas com a seleção brasileira

Published

em

Lages, 16/05/2010, Correio Lageano

 


Quase tudo parou às 15 horas, ontem, em Lages, para o jogo da seleção brasileira. As lojas, os mercados, os bancos, as farmácias… Até o transporte urbano alterou seu horário para atender melhor a demanda antes do início da partida.

 


Segundo um estudo feito pelo Ibope, em parceria com a Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), realizado em 14 países, os brasileiros são os que mais confiam que seu país pode vencer a Copa do Mundo na África do Sul.

 


Ao todo foram ouvidas 14.577 pessoas, entre os dias 27 de abril e 31 de maio de 2010. A relação dos países inclui Brasil, Gana, Argentina, Camarões, Alemanha, Itália, Holanda, França, Chile, EUA, México, Eslováquia, Suíça e Coreia do Sul.

 


67% dos torcedores brasileiros acreditam que a seleção vai conquistar o hexacampeonato. Na média global, 36% acham que o time de Dunga ganhará o mundial. Além destes, 6% acreditam que a equipe irá à decisão, mas será derrotada. Outros 5% creem que chegará nas semifinais, 7% que nem irá às quartas e 10% não sabem ou não responderam. No ranking mundial dos favoritos, o Brasil lidera isolado, com 36% da expectativa de triunfo, seguido por Alemanha (10%), Itália (9%) e Espanha (7%).

 


Em Lages, o otimismo é o mesmo. A concentração de pessoas era grande no Centro, principalmente no Serra Shopping, na Transul, no Arena Bar e no Juliu’s Café. O motorista da Transul, Paulo Sell, 46 anos, apesar de não achar que a seleção brasileira mereça o título de hexacampeão, gostou da mudança de horários no transporte público. “Normalmente, durante a semana a maioria dos ônibus sai de hora e meia, ontem os horários foram alterados durante o jogo da seleção. Foi melhor mudar o horário, pois as pessoas que trabalham no comércio saíram antes do jogo e foram para casa”, disse.

 


O Arena Bar estava lotado, com quase 200 pessoas e o clima era verde-amarelo. Uma das proprietárias, Gabrielle Dill da Silva, salientou a importância de o ambiente estar decorado e os funcionários uniformizados com camisas da seleção.

 


Em casa a família e os amigos de Ana Paula Pavão estavam reunidos e motivados. “Achei o jogo muito fraco, só no segundo tempo a seleção reagiu”, falou Ana. O amigo Matheus Sens Concer faz estágio e chegou a faltar no trabalho para poder assistir ao jogo. “Apesar de o jogo estar fraco, vale a pena ver o Brasil jogar”, contou.

 

Fotos: Susana Küster

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: