Conecte-se a nós

Notícias

Fevereiro Roxo alerta para doenças incuráveis

Published

em

Rubia Battisti Beck Martins - Foto: Bega Godóy

Este mês é marcado pela campanha Fevereiro Roxo, visando a atenção à Fibromialgia, Lúpus e Mal de Alzheimer, doenças sem cura. Entretanto, são patologias que podem ser controladas e o paciente pode ter uma vida normal. Em Lages, segundo a Secretaria de Saúde não haverá nenhuma atividade específica. Porém, nas Unidades de Básica de Saúde, as gerências estão orientando e esclarecendo sobre as doenças, sobretudo porque com exceção do Mal de Alzheimer, as outras duas são pouco conhecidas.  

O reumatologista, João Pedro Pereira da Cunha, explica que a Fibromialgia é uma doença caracterizada pela dor generalizada no corpo todo, sentida de maneira espontânea como por palpação em algumas estruturas (músculo, tendões e articulações).  “A dor está presente todos os dias, com possíveis períodos de crise”. Essa condição é mais comum em mulheres jovens e de meia idade (de 20 a 50 anos), mas também pode acometer idosos e crianças.

Além do quadro de dor no corpo todo, o portador de fibromialgia pode apresentar sensações de queimação, formigamentos, e ainda ter a impressão de que algumas partes do corpo estão inchadas. “Cansaço excessivo, dificuldade de concentração e de memória, problemas relacionados ao sono, depressão, ansiedade, alterações intestinais e urinárias também podem estar presentes nos portadores dessa doença”, explica o reumatologista.

Nenhum exame isoladamente faz o diagnóstico de fibromialgia; ele pode ser feito por meio da entrevista clínica (conversa inicial para detalhar a dor e outras queixas associadas) e pelo exame físico. Os exames complementares, quando solicitados, auxiliam na investigação de outras doenças que se manifestam por dor no corpo todo.

Para amenizar a convivência com a fibromialgia é recomendado ter hábitos de vida saudáveis. “A prática de exercícios físicos regulares é considerada tratamento para essa condição, além de manter alimentação adequada e abster-se de fumar e ingerir bebidas alcóolicas”, ressalta o especialista.

O tratamento medicamentoso é sempre personalizado e inclui diversas classes de fármacos aprovados para fibromialgia, como determinados antidepressivos, anticonvulsivantes e remédios para dor. O reumatologista utiliza essas medicações para melhora da fibromialgia, mesmo em pacientes que não apresentam depressão ou convulsão. Essa doença não causa inflamação, portanto o uso a longo prazo de corticoides ou anti-inflamatórios não é indicado.

O diagnóstico correto e o acompanhamento regular com o médico reumatologista são fundamentais para melhora da qualidade de vida do paciente, além de evitar gastos desnecessários com exames complementares que oneram o sistema de saúde. O mundo e os fãs ficaram chocados ao saber que a Lady Gaga havia anulado sua apresentação no Rock in Rio 2017. Mas o motivo do cancelamento foi justificado pela revelação de fibromialgia.

Doença inflamatória

O lúpus eritematoso é uma doença inflamatória crônica que parte de um componente autoimune, ou seja, nosso sistema de defesa naturalmente combate as células danificadas ou organismos externos (vírus, bactérias) que estão invadindo o corpo), e isso causa desregulação desse sistema. A dermatologista  da La Derme Centro Médico de Especialidade, Rubia Battisti Beck Martins, salienta que não há relação direta entre as três doenças. “Acredito que a relação entre elas seja pela cronicidade que necessitam acompanhamento e tratamento contínuo ao longo da vida do paciente e que são carentes de informação”, explica.

O lúpus eritematoso é uma doença autoimune. O organismo deixa de reconhecer partes dele próprio e começa a produzir anticorpos, produzindo células que atacam o seu próprio corpo. “Cria uma auto-defesa, uma defesa contra você mesmo por alterações na imunidade. Pode atacar algumas partes do corpo”, destaca.  “O lúpus é uma doença muito variável, por isso a importância de se falar sobre ela porque muitos pacientes acabam não conseguindo juntar os sintomas que estão sentindo e passar para o médico diagnosticar, assim o tratamento é retardado ou atrasado”, observa.

Ela comenta que o lúpus é mais frequente nas mulheres e adultos jovens (entre 30 a 40 anos), mas acomete homens apesar de menor frequência. O lúpus cutâneo costuma produzir lesões avermelhadas, lesões infiltradas que aparecem e surgem como se fossem uma inflamação na pele e muitas vezes regridem espontaneamente, mas depois voltam a aparecer. “Essas lesões,  geralmente aparecem nas áreas expostas ao sol, rosto, decote e braços. A doença, de maneira geral, faz o que a gente chama de fotossensibilidade, que é a sensibilidade do sol à luz solar.

Tratamento

Sobre o tratamento, a dermatologista explica que a maioria é  medicamentosa, uso tópicos, comprimidos ou sistemas injetáveis. Um dos grandes tratamentos do lúpus cutâneo é a fotoproteção, proteger a pele do sol, usar bonés, chapéus, óculos, roupas que sejam mais cobertas. “Doenças autoimunes  não são muito evitáveis porque são internas do nosso organismo, é diferente por exemplo de uma doença infecciosa que a gente evita. O lúpus somos nós conosco mesmo, não tem como evitar, mas é importante ter o diagnóstico cedo, atenção à saúde, aos seus sintomas e lógico que a prática de atividade física, uma alimentação saudável, proteger a pele do sol, beber bastante líquido, ter hábitos saudáveis faz com que o seu organismo funcione melhor e o seu organismo funcionando de uma maneira melhor é um pouco mais difícil de alterações na imunidade acontecerem”

Uma dessas mulheres afetadas é a atriz e cantora norte-americana Selena Gomez que em 2017 passou por transplante em decorrência de complicações do lúpus.

Campanhas

O Outubro Rosa, mês da prevenção do câncer de mama e o Novembro Azul da previne o câncer de Próstata. São as campanha mais conhecidas. O Ministério da Saúde, os centros de saúde, até a própria ONU têm desenvolvido outras campanhas para alertar sobre algumas doenças que são de pouco acesso à população. O lúpus eritematoso é uma doença inflamatória, a fibromialgia é uma doença reumatológica de dores articulares e o Alzheimer (esquecimento) é principalmente tratada pelo neurologista, é aquela doença do esquecimento, do paciente mais idoso.

 

Anúncio
2 Comentário

2 Comentários

  1. Pingback: Braincounts | Fevereiro Roxo alerta para lúpus, fibromialgia e Alzheimer – Folha de Londrina

  2. Pingback: Fevereiro Roxo alerta para lúpus, fibromialgia e Alzheimer - Folha de Londrina | Space Tuga

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: