Economia e Negócios

Feira do Terneiro (a) terá comercialização em canais da internet

Published

em

Fotos: Paulo Chagas

A pandemia do coronavírus dificultou muitos segmentos econômicos no Brasil e no mundo. No agronegócio não seria diferente.

No entanto, com a aproximação do período de leilões de terneiros e terneiras, o mercado de animais catarinense também precisou buscar alternativas para manter o setor ativo, e adotar alternativas para superar as dificuldades impostas pelas medidas restritivas.

Assim, pela primeira vez na história dos leilões de animais jovens, na Serra Catarinense, foi preciso recorrer à tecnologia virtual.

No sábado, dia 23 de abril, em Campo Belo do Sul, ocorreu a primeira experiência, apenas com uma demora além do normal, pois, as respostas por telefone requerem mais tempo.

Neste sábado, 2, será a vez do experimento virtual se repetir. Desta vez, no Parque Conta Dinheiro, em Lages, com mais de 800 animais em pista, entre machos e fêmeas sendo apresentados no pavilhão José Arruda Ramos.

A diferença é que não haverá a presença do público, embora a Associação Rural e demais entidades do agronegócio catarinense tivessem tentado a liberação de pelo menos 30% da capacidade do pavilhão e com adoção de todas as medidas necessárias de segurança.

Seriam respeitadas as regras similares dadas a restaurantes, shoppings ou igrejas. Mas, não houve jeito. A ordem é não correr riscos e evitar aglomerações, portanto, os negócios terão mesmo que ser feitos via internet.

A comercialização deve começar por volta das 14 horas de hoje. Os compradores poderão acessar um dos dois canais disponibilizados, o Lance Rural (Canal Rural) e o canal do You Tube, da Camargo Agronegócios.

O mesmo procedimento será adotado na organização da segunda etapa da Feira dos Terneiros (as), no sábado, dia 9 de maio, e na Feira de Gado Geral, agendada para segunda-feira (10) à tarde, também no Parque Conta Dinheiro. Os números dos telefones serão disponibilizados bem antes dos eventos começaram.

Por Assessoria de Imprensa Sindicato Rural

clique para comentar

Deixe uma resposta