Notícias

Estudos de Projeto de Mobilidade Urbana está em desenvolvimento

Published

em

Foto: Wagner Urbano/Divulgação

A empresa portoalegrense Matricial iniciou os estudos para a implantação do plano  de Mobilidade Urbana em São Joaquim. Segundo a engenheira civil Alexandra Reffel, até o fim do ano, o projeto deve ser entregue à prefeitura para passar por apreciação da Câmara de Vereadores.

O primeiro passo foi uma consulta pública, no começo de agosto, realizada no Sesc,  explicando à população os detalhes dos procedimentos e convocando a participar do processo. Depois, foi realizado um estudo de tráfego (classificação dos veículos) e contagem de placas (analisa o tráfego de passagem por São Joaquim). Para este levantamento, a empresa ganhadora da licitação usou os portais da SC-114 e SC-110 (sentido Lages e São Joaquim) identificando o fluxo e o que deu origem ao diagnóstico de Mobilidade Urbana da cidade. 

Também foi analisada a infraestrutura existente, como local das travessias de pedestres, pinturas, os elevado e lombadas e as condições dos passeios e pavimentos e ainda se há ciclovia.

Após conhecidos os problemas, um prognóstico será elaborado, apontando a capacidade das vias e as possíveis alterações. Por último, apresenta-se a proposta por meio de audiência pública com abertura para sugestões e até reprovação fechando com os ajustes em comum acordo com os participantes do encontro. “Cidades com mais de 20 mil habitantes têm que ter plano de Mobilidade Urbana”, explica a engenheira.  

Como definir os pontos

A mobilidade urbana é definida como a facilidade de deslocamento das pessoas e bens na cidade, com o objetivo de desenvolver atividades econômicas e sociais no perímetro urbano de cidades, aglomerações urbanas e regiões metropolitanas. Tais deslocamentos são realizados através de veículos motorizados e não motorizados, além de toda a infraestrutura, dentre as quais, vias e calçadas que possibilitam o ir e vir cotidiano.

O Plano de Mobilidade Urbana do Município de São Joaquim deverá analisar os modais:

Rodoviário, aeroviário e cicloviário, contemplando minimamente o seguinte:

  • Acessibilidade para pessoas com mobilidade restrita; -Áreas de estacionamento
  • Áreas e horários de acesso restrito; Circulação viária; -Distribuição de bens carga e descarga;
  • Infraestrutura do sistema de mobilidade urbana
  • Mobilidade no espaço público, de pessoas e mercadorias
  • Polos geradores de tráfego
  • Serviços de transporte coletivo
  • Sistemática de avaliação, revisão e atualização do plano de mobilidade urbana
  • Táxi, moto-táxi, transporte escolar, transporte coletivo, fretamento municipal e intermunicipal e localização da estação rodoviária
clique para comentar

Deixe uma resposta