Conecte-se a nós

Eleições

Entidades querem se aproximar do governador eleito

Published

em

Durante breve passagem por Lages em setembro, Carlos Moisés assinou o termo de compromisso com o Fórum das Entidades - Foto: Divulgação

Após a eleição de Carlos Moisés (PSL) ao Governo do Estado, começam a ser traçadas estratégias de trabalho e parcerias com órgãos e entidades. Em Lages, a expectativa de entidades, como Associação Empresarial (Acil), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e o escritório regional da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) é de que possam trabalhar em parceria com o novo governador, para contribuir com o desenvolvimento da Serra Catarinense.

Durante a campanha eleitoral, o Fórum das Entidades Empresariais de Lages elaborou um termo de compromisso que foi apresentado aos candidatos ao governo. O objetivo era fazer com que se comprometessem com o desenvolvimento da Serra, caso eleitos. Moisés esteve em Lages no dia 22 de setembro e, na ocasião, recebeu e assinou o documento.

De acordo com o coordenador do Fórum, Celso Marcolin, as principais reivindicações contidas no documento são a conclusão do Aeroporto Regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto; a ativação da nova ala do Hospital Tereza Ramos; e a manutenção do incentivo concedido à Berneck para que se instale no município.

Além disso, também há solicitações genéricas sobre melhorias em infraestrutura, educação e segurança. “Agora que ele [Moisés] está eleito, vamos começar a trabalhar para que isso se torne realidade”, afirma.

Para Marcolin, o melhor caminho será atuar em parceria com o governador eleito para garantir que as reivindicações sejam atendidas, pois tanto Moisés quanto sua vice, Daniela Reinehr (que esteve em Lages na semana passada e também tomou ciência do termo de compromisso) demonstraram interesse em ouvir e tentar atender às demandas da Serra. “Nós [Fórum] temos poder de cobrança, mas como ele [Moisés] se prontificou em assinar os documentos, acredito que está tudo bem alinhado”.

CDL

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Lages é a principal entidade de representação do varejo. Como tal, espera e defende o fortalecimento e o desenvolvimento dos setores de comércio e serviços.

De acordo com o presidente em exercício da entidade, Marcos Tortelli, a expectativa é pela redução da burocracia e a simplificação dos processos que envolvem abertura, funcionamento e inovação das empresas.

“É estritamente necessário avançar no desenvolvimento de políticas relacionadas à segurança pública, à infraestrutura e ao acesso a crédito, privilegiando os empreendedores e, consequentemente, toda a sociedade de Lages, de nossa região e do estado de Santa Catarina”, comenta.

Fiesc

Para o vice-presidente regional da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) em Lages, Israel Marcon, o fato de que Moisés é uma figura nova na política é positivo. “Assim a gente pode se aproximar, enquanto entidade, e nos colocarmos à disposição para abrir um diálogo. Podemos, inclusive, oferecer suporte por meio de ações que a própria Federação já executa, como o acompanhamento das principais obras do Estado e as reivindicações por melhorias nas rodovias, especialmente na BR-282”.

Para Marcon, neste momento o mais importante é colocar a Fiesc à disposição do governador eleito e apoiá-lo em temas com os quais ele pode não ter muita intimidade. “Temos que tentar buscar o equilíbrio das contas do Estado, fazer com que ele seja mais ágil, mais próximo das pessoas, da indústria, do comércio e de todo o setor produtivo”.

Acil

A Associação Empresarial de Lages (Acil) é uma das entidades de classe que trabalha pelo fortalecimento e expansão da classe empresarial e do associativismo, além de estar comprometida com os projetos ligados ao desenvolvimento da Serra Catarinense. Neste sentido, foi uma das principais apoiadoras do Termo de Compromisso apresentado pelo Fórum das Entidades Empresariais aos candidatos ao Governo do Estado.

“Nossa região tem o IDH [Índice de Desenvolvimento Humano] muito baixo, por isso a gente espera que ele [Moisés] reconheça a Serra Catarinense, que é uma região que está com péssimo desenvolvimento e precisa ser melhor assistida”, avalia o presidente Acil, Sady Montemezzo.

Segundo ele, Moisés se comprometeu em participar de reunião com os representantes das Associações Comerciais nos meses seguinte à sua posse, para tratar do andamento das ações com as quais firmou compromisso com a Serra.

Anúncio
1 Comentário

1 Comentário

  1. Claudio Lemes Louzada

    30/10/2018 at 16:14

    O aeroporto do Planalto Serrano em Correia Pinto é uma necessidade extrema para a Lages e cidades do entorno. Mas é altamente lamentável que se tenha construído uma infraestrutura aeroportuária acanhada, a começar com a pista de pouso, somente 70m maior do que a do atual aeroporto de Lages (1.530m). Sempre é bom lembrar nossas autoridades municipais e estaduais que os próximos 5 anos serão profundamente marcados pela operação de aeronaves de 180 a 200 lugares em todas as empresas aéreas. É urgente uma extensão de pista dos atuais 1.600m para 2.200m, afim de acomodar sem restrições operacionais as novas aeronaves e colocar definitivamente a região serrana no mapa e no século 21 do modal aéreo. Saudações,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: