Notícias

Entidades de acolhimento de idosos são vistoriadas

Published

em

Autoridades fazem vistoria no lar Menino Deus, no Bairro Petrópolis - Foto: Adecir Morais

A 14ª Promotoria de Justiça de Lages, que atua na área de cidadania, realizou vistoria nas três casas de acolhimento de idosos de Lages: Asilo Vicentino, Lar Menino Deus e Sociedade de Assistência Social, Educacional e de Apoio de Lages (Seseadla). A ação, que reuniu outros órgãos de fiscalização, teve por objetivo verificar as condições de funcionamento e atendimento nestas entidades, que abrigam quase 200 idosos. A fiscalização foi realizada na quarta-feira (16) e na quinta-feira (17).

O promotor de Justiça responsável pelas vistorias, Carlos Renato Silvy Teive, explicou que as vistorias são um procedimento padrão que acontece anualmente. Durante a fiscalização, foram verificadas as condições estruturais das unidades, além da situação de acolhimento dos idosos. No Lar Menino Deus, os fiscais constataram que os alvarás do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária estão vencidos.

A entidade se comprometeu em resolver as pendências. “Conversamos com as entidades para providenciarem a regularização”, afirmou o promotor, fazendo questão de questão de ressaltar, por outro lado, que, de modo geral, “podemos dizer que os asilos atendem às necessidades dos idosos acolhidos”.

Para Ione Terezinha Silva, coordenadora do Lar Menino Deus, a vistoria anual tem suma importância, pois os órgãos de fiscalização ajudam a aprimorar a gestão da entidade. “A promotoria nos orienta quando encontramos dificuldades”, disse, destacando que a instituição abriga, atualmente, 52 idosos, entre homens e mulheres.

Os trabalhos foram realizados em parceria com Conselho Regional de Engenharia (CREA), Corpo de Bombeiros Militar, Vigilância Sanitária, o Conselho Municipal do Idoso. O engenheiro civil e diretor-regional do Crea, Paulo Mozart, informou que pequenos defeitos, o que ele chamou de “patologias”, foram constatados no prédio do Lar Menino Deus, entretanto, os problemas não oferecem risco de desabamento. A entidade, segundo Paulo, prometeu corrigir os defeitos o mais rápido possível.

Falta de vagas

Uma das questões que preocupa a Promotoria de Justiça é a falta de vagas nas três casas de acolhimento de idosos de Lages. Conforme o promotor de Justiça Carlos Renato, durante as vistorias, apurou-se que há uma demanda reprimida de 120 vagas nestas entidades, considerando-se apenas o número de idosos inseridos em lista de espera.

Para ele, o envelhecimento da população e a atuação dos órgãos de assistência, que acabam diagnosticando mais casos de vulnerabilidade entre os idosos, são as principais causas desse aumento de demanda.

Diante desta situação, o promotor Carlos Renato defendeu maior investimento no setor por parte do poder público para ampliar o número de vagas. “Num primeiro instante, temos de fazer um diagnóstico da situação e, depois, adotar as medidas necessárias”, disse. Segundo ele, a Seseadla, cuja sede fica no Bairro Bela Vista, já possui um projeto de ampliação da oferta de vagas.

Esclarecimento

Com relação à falta dos alvarás do Corpo de Bombeiros e da Vigilância Sanitária de Lages, o presidente da casa asilar Lar Menino Deus, Juarez Paulino, esclarece que a instituição tem os alvarás provisórios com prazo de validade até o final deste ano. Por telefone, ele afirmou que está trabalhando firme para que, mesmo antes do prazo permitido, tenha os documentos definitivos.

clique para comentar

Deixe uma resposta