Notícias

Destaque foi para as pessoas que constróem a empresa

Published

em

Foto: Adecir Morais

O sonho que três amigos tiveram, ainda em 1939, foi adotado por dezenas de pessoas que ao longo de décadas mantiveram o ideal de produzir um jornal com qualidade e credibilidade, voltado aos interesses da Serra Catarinense e de quem habita nela. Esse comprometimento de gestores e colaboradores foi a tônica da Sessão Solene realizada na Câmara de Vereadores de Lages, na noite de ontem (17), para celebrar os 80 anos do Correio Lageano. 

O reconhecimento proposto pelo vereador David Moro (MDB) reuniu colaboradores, direção da empresa, familiares e amigos; empresários e autoridades, como o comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Alfredo Nogueira, e o comandante da 2º Região do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Edson Tadeu Steinck. 

Uma das partes emocionantes do evento foi a entrega da placa de honra ao mérito à diretora Isabel Baggio, pelo seu irmão e diretor da rádio FM 101, Paulo Baggio, juntamente ao parlamentar Moro. O plenário da Câmara estava lotado.

Um vídeo mostrando fotos e um histórico da vida de José Paschoal Baggio, um dos fundadores do jornal, e sua mulher, Scylla Baggio, que teve papel fundamental nos negócios da empresa, emocionou, pois lembrou a importância do casal na história do CL. 

Colaboradores e colunistas também foram homenageados através de vídeos com depoimentos sobre a importância do CL em suas vidas e para a comunidade. Foi transmitido, também, um vídeo com declarações, como do presidente da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Ademir Arnon; e Edézio Caon, que é filho de um dos fundadores, Edézio Neri Caon.

Para Isabel, a homenagem traz orgulho pelo reconhecimento que a Câmara de Vereadores proporciona. Ela frisou que o sucesso do jornal é devido ao comprometimento da equipe. “Em um país onde boa parte das empresas fecha nos primeiros anos de existência, comemorar 80 anos é, realmente, uma bela conquista. Quanto mais tempo uma empresa possui, mais complexo é enfrentar os desafios e se sobressair no mercado, especialmente na área da comunicação.”

A interpretação do Hino Nacional pela cantora Aryane Duarte, acompanhada pelo músico Daniel Dante Finardi, bem como as apresentações musicais de Billy Macedo, emocionaram ao público.

Depois do cerimonial, um coquetel foi servido em meio à exposição do acervo do CL, disposta em totens que expõem notícias que foram destaques de 1939 a 1965.

Frases

“Parabenizo o jornal pelos relevantes serviços prestados para Lages e para a Serra Catarinense. É uma honra ter a família Baggio à frente do Correio Lageano.”

Edson Tadeu Steinck, tenente-coronel e comandante da 2º Região do Corpo de Bombeiros.

“Os 80 anos de vida do Correio Lageano demonstram o compromisso social que a empresa tem com a Serra Catarinense e com o desenvolvimento da nossa região.”

Alfredo Nogueira, tenente-coronel e comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar.

“O CL busca soluções para os problemas da sociedade, mas também faz o que está em falta no jornalismo, que é mostrar as boas iniciativas que inspiram a sociedade a trabalhar de maneira coletiva.”

Pablo Gomes, executivo de Comunicação da Prefeitura de Lages, que no ato representou o prefeito Antonio Ceron.

Surgimento do principal jornal da Serra Catarinense

Em 21 de outubro de 1939, nasceu o jornal Correio Lageano, quando Almiro Lustosa Teixeira de Freitas, Idalécio Arruda e João Ribas Ramos, decidiram lançar o periódico, ao comprarem o maquinário pertencente ao antigo Correio de Lages. Na época, o Brasil vivia a ditadura de Getúlio Vargas e, na Europa, começava a II Guerra Mundial. Lages era o centro político catarinense. 

Por doze anos, o CL teve edições semanais. Até José Paschoal Baggio, Evilásio Neri Caon, Edézio Neri Caon e Sirth de Aquino Nicolelli assumirem com o objetivo de oferecer um veículo “independente e noticioso”. “O Correio Lageano, enquanto estiver sob nossa orientação, será um órgão livre, independente, sem subordinação a organizações de qualquer espécie. (…) Nos endereçando sempre aos anseios do povo, quer das classes produtoras, quer das classes trabalhadoras, humildes e de todas as categorias profissionais”, era o propósito deles.

Um dos marcos para a imprensa local, foi quando o jornal passou a ter duas edições por semana. Depois de onze anos da liderança de José Paschoal Baggio, o CL passou a ser distribuído três vezes por semana. E, no dia 8 de outubro de 1967, as edições passaram a ser diárias. Em 2005, o jornal passou a ter um site e, em 2010, foi criado o portal CLMais. Em 2012, o jornal passou a ser impresso totalmente colorido.

Funcionários mais antigos dão seus depoimentos

Não é para qualquer um completar 63 anos de vida profissional em uma única empresa. Névio Fernandes, 85 anos, diz que deve uma grande gratidão à família Baggio, principalmente ao fundador José Paschoal Baggio. “Foi ele quem me encaminhou ao jornalismo. Ingressei em 1956, como editor de polícia e esporte, fui editor e também secretário de redação.” 

Há quase 40 anos na empresa, Regina Marquez de Bitencourt, 57 anos, avalia que o jornal é sua segunda casa. Conta que começou a trabalhar como office girl, depois foi arquivista, cobradora, aprendeu a fazer faturamento, RH e foi para o setor financeiro, no qual permanece até hoje. “A homenagem é justa porque o CL tem credibilidade. É o melhor jornal da Serra.”

Para Rosmary Albuquerque Araújo, 60 anos, a homenagem é muito justa. “O CL é importante para a comunidade, levantou várias bandeiras de suma importância para o desenvolvimento da nossa região. Adquiri muito conhecimento nesses 30 anos de carreira no jornal. O CL enriquece meu currículo e representa  desafio e prazer.”

clique para comentar

Deixe uma resposta