Geral

Cronograma de ampliação da subestação em São Joaquim está atrasado

Published

em

Dentre as ações da Celesc na região, existe um projeto de ampliação da Usina do Salto Caveiras Foto: Adecir Morais/Arquivo/CL

A pandemia do novo coronavírus e as medidas adotadas para frear o avanço do vírus impactaram o cronograma de obras da Celesc.

Uma das ações impactadas é a ampliação da subestação em São Joaquim, que passará dos atuais de 16,67 MVA para 26 MVA (Unidade de medida da potência elétrica aparente, equivalente a 1 milhão de voltampéres). A obra, segundo a estatal catarinense, está atrasada, assim como ações em outras 17 subestações do Estado.

Essas informações foram divulgadas na manhã de ontem, quando a direção da Celesc reuniu a imprensa para uma coletiva virtual.

Na ocasião, além de expor um panorama das ações da companhia em todo o Estado, o presidente da estatal, Cleicio Martins, apresentou o balanço financeiro da empresa diante do cenário da pandemia, e falou sobre as medidas de contenção que estão sendo adotadas para garantir a saúde financeira da estatal.

A ampliação da subestação em São Joaquim está orçada em R$ 3,5 milhões. Durante a coletiva, técnicos da Celesc disseram que a obra, que vai ampliar a capacidade de fornecimento de energia na região de São Joaquim, já foi contratada e deve começar até o final deste mês de maio.

O atraso do cronograma, segundo foi informado, ocorreu por conta das medidas de isolamento adotadas para evitar o avanço do coronavírus.

Ainda durante a coletiva, o presidente Cleicio Martins comentou sobre a ampliação da Usina do Salto Caveiras, em Lages. Segundo ele, o projeto está em fase de estudo.

Após, a proposta será encaminhada à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Posteriormente, começa a fase de licenciamento ambiental e licitação da obra. Não há, entretanto, prazo para o projeto começar a sair do papel.

Consumo de energia caiu 20%

Durante a coletiva, o presidente de Celesc falou sobre os impactos da pandemia na empresa. Ressaltou que o consumo residencial de energia elétrica aumentou 14% no mês de abril, durante o período de isolamento social por causa do coronavírus, em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o industrial caiu 22%. De maneira geral, porém, o consumo recuou 20% em Santa Catarina por causa da paralisação de atividades. 

Cleicio também falou que, por conta do cenário de crise, a estatal está adotando algumas medidas para amenizar os impactos financeiros na estatal.

Dentre as medidas, contingenciou uma parte do orçamento de 2020. Também implementou um plano de emergencial de desligamento voluntário a empresa, no qual há 130 servidores inscritos. Além disso, a estatal está trabalhando junto ao Governo Federal para obter uma linha de crédito emergencial para o setor.

clique para comentar

Deixe uma resposta