Notícias

Caminhão derruba passarela e prejudica acesso de pedestres

Published

em

Foto: PRF/Divulgação

Um caminhão de Bocaina do Sul, que transportava uma máquina agrícola, enroscou na passarela pênsil do Km 127 da BR-282, em Bom Retiro, derrubando-a. Com o impacto, o trator que era transportado caiu no acostamento da rodovia e, por essa razão, o fluxo da rodovia não precisou ser interrompido. O acidente que foi atendido pelas polícias Rodoviária Federal e Militar aconteceu na manhã desta terça-feira (16). 

A passarela ligava o Bairro Bela Vista ao Centro e agora a alternativa de acesso será por meio de um trevo, que fica há 600 metros do local da queda. Ou seja, para o pedestre contornar e chegar ao local de destino, no outro lado da rodovia, deve caminhar cerca de 1.200 metros.

O prefeito de Bom Retiro, Wilmar Neckel, disse que vai pedir junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), em Brasília, providências emergenciais. Antes pedirá ao seu secretariado um novo estudo do local, pois o último que sugeria uma passarela ou a construção de um viaduto foi realizado há muito tempo. 

Assim, na primeira quinzena de agosto, o prefeito estará em Brasília e vai levar o estudo atualizado (com as mesmas sugestões: passarela ou viaduto) para análise do departamento. “Vou tentar pedir uma força, fazer uma parceria com o Dnit e também conversar com alguns deputados e senadores sobre outras demandas”, explica.

Neckel acredita que o Dnit não autoriza mais a construção de ponte pênsil, por isso, se a opção for passarela, sugere que seja igual as que estão sendo implantadas na BR -282 pela empresa Zanco, no perímetro urbano de Lages.

A passarela foi construída pela Prefeitura de Bom Retiro para facilitar o acesso aos dois bairros, há mais de 20 anos. Porém, o prefeito explica que a manutenção era feita com regularidade e que inclusive, recentemente, foi trocado todo o cabeamento, ou seja, não houve problemas estruturais e o acidente foi por excesso de altura da carga. “Trancamos a rodovia, junto com a PM, até a chegada da Polícia Rodoviária Federal e tivemos que derrubar o resto da passarela, pois oferecia perigo”, diz ele ao se referir aos pedaços da ponte que ficaram suspensos e sujeitos a despencar e machucar alguém. 

“Vou pedir solução urgente para o Dnit. O fluxo no local é intenso, pois passa por cima da BR e o domínio é do Dnit,  tem que haver parceria. Usar o trevo ficará mais perigoso. No entorno há muitas madeireiras e trânsito de caminhões, somados aos carros pequenos e pedestres. Vai aumentar o perigo”, argumenta. A passarela tinha 5,60 metros de altura e, na época da construção, dois locais foram estudados para a sua implantação. O outro ligaria o Centro ao Bairro São José.

 

clique para comentar

Deixe uma resposta