Entretenimento

A simplicidade do gaiteiro André Alano

Published

em

Foto: Jordana Boscato

Foi aos 7 anos de idade que André Alano teve seu primeiro contato com a gaita. Vários motivos forjaram o músico “Gaiteiro”, mas o principal foi o ambiente rural em que se criou, junto com a família que sempre tinha o rádio ligado em casa, uma gaita e o gosto musical de seus pais, Ari Dizon e Maria Gorete, responsáveis por despertar o interesse pela música.

Com 14 anos, começou a tocar usando a gaita do próprio pai, que sempre o acompanhava tocando e cantando, quando decidiu que seria isso o que queria para sua vida: viver da música. “Foi ali que nasceu aquela vontade de tocar, ouvindo ele tocar; eu percebi que a música me fascinava e foi como um chamado para mim”, comenta André.

Nasceu em Foz do Iguaçu (PR), mas nos primeiros anos de idade foi para São Joaquim e, aos 14 anos, começou a residir em Lages, onde se formou em Música, em 2012, pela Uniplac. É professor de gaita no Centro Cultural do Sesc, onde trabalha há três anos. Além de diplomático, se considera curioso com tudo ao seu redor, compõe, canta e busca sempre estudar algo novo. 

Desde 2007, trilhou bastante seus caminhos no palco, tocou e cantou em diversos estados e teve a oportunidade de viajar para o Paraguai. Também viajou em função da música durante nove anos com bandas, como Os Farrapos e Grupo Chamamento. Já gravou discos com grupos de colegas da arte, inclusive uma participação em DVD.

Esteve em diversos palcos consagrados, sendo um deles a Sapecada da Canção Nativa, onde teve a oportunidade em fazer parte da comissão avaliadora. Também participou do Ronco do Bugio e o programa de TV Galpão Crioulo. Com tudo, pretende levar como planos futuros sempre seguir em frente, levando essa missão. 

Diminuiu suas viagens para se dedicar mais a suas aulas, pois acredita que a realização do outro também é a sua. “Me sinto feliz, com a sensação de estar fazendo algo grandioso, por levar as pessoas a oportunidade de descobrir um mundo novo, tocando uma gaita; para todos, uma razão especial por escolher esse instrumento”, conta.

Em outubro deste ano, lançou seu primeiro CD Simplicidade, com 12 faixas contando com a participação de amigos, como Adelar Bertussi (in memorian), que junto de seu irmão Honeyde (in memorian), formaram a mais famosa dupla de gaita, participando ainda em vida.

Há planos futuros para gravar o próximo, pois sente que esse disco foi uma realização pessoal e profissional, mas ainda tem muitos planos e sonhos para se realizar. “Esse disco foi planejado mais a caráter de registro, porém, tem me dado muitas boas surpresas e alegrias desde que lancei”, conclui.

clique para comentar

Deixe uma resposta