Conecte-se a nós

Notícias

Visita para conhecer um modelo de administração prisional referência para o país

Published

em

Governador conheceu os setores laborais da Penitenciária - Fotos: Bega Godóy

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, cumpriu agenda apertada na Serra Catarinense e no Oeste do Estado. Na volta à Capital, entregou seu Projeto de Lei da Reforma Administrativa do Estado à Assembleia Legislativa e seguiu para Brasília (compromisso não divulgado pela sua assessoria).    

“Este é o caminho de valorização do interno e uma forma de o Estado diminuir custos com o sistema prisional. Uma maneira de ser autossustentável. Temos algumas ideias sendo lançadas pelo secretário de Justiça e Cidadania, Leandro Lima, sobre eficiência energética e geração de energia dentro dos sistema. Também abordamos questões do tratamento da água para descobrir o que o sistema pode fazer para melhorar as condições e diminuir o deficit das contas públicas do Estado”, disse o governador Carlos Moisés da Silva em visita ao complexo Penitenciário de São Cristóvão do Sul, região de Curitibanos, na manhã desta segunda-feira.

O ato marcou a primeira visita à Serra Catarinense e a primeira que esteve oficialmente em uma penitenciária. Antes das visitas, foram entregues as chaves de 45 viaturas para o Departamento de Administração Prisional (Deap). Além do governador, secretários de Justiça e autoridades ligadas ao sistema prisional de 10 federações (Pará, Amapá, Tocantins, Amazonas,  Goiás, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Alagoas e Rondônia) estiveram em São Cristóvão do Sul.

A comitiva composta pelo secretário de Justiça e Cidadania, Leandro Antonio Soares Lima Lima, o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Fabiano Bordignon, veio conhecer o modelo de gestão da unidade. Santa Catarina é referência nacional por proporcionar aos presos atividades laborais durante o cumprimento da pena. De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania de Santa Catarina, 100% dos presos da Penitenciária da Região de Curitibanos e 39% dos presos da Penitenciária de Chapecó exercem alguma atividade laboral. O índice supera a média nacional.

Representantes da justiça e cidadania de diferente federações visitaram a Penitenciária. O Juiz da Vara Regional de Execuções Penais de Curitibanos, Juliano Schneider de Souza também participou da reunião

Viaturas

As 45 viaturas entregues ao Deap são adaptadas para o transporte de presos e escolta e foram adquiridas com recursos repassados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). Ao todo, foram investidos R$ 8 milhões na compra com sinalização de segurança e recursos tecnológicos para garantir o transporte seguro de presos e agentes penitenciários em escolta.

“Governar é diminuir dores. E dores são reduzidas quando recolhermos as bandeiras políticas para pensarmos e buscarmos a ressocialização.” – governador Carlos Moisés

14 empresas mantêm convênios

“Vale exaltar que as empresas parceiras  permitem que esse modelo de gestão funcione e vire sucesso,” disse o governador. Uma delas é a Metalúrgica RioSulense que, há seis anos, é conveniada com a unidade prisional.

O responsável pela supervisão de produção da metalúrgica, Enio Russi explica que a empresa emprega ex-detentos. Na penitenciária, trabalham 100 apenados no acabamento de peças. Nos últimos seis meses, contratou seis ex-presos na unidade de Rio do Sul.

“Lutamos e acreditamos na reintegração deles à sociedade. Damos preferência para quem mora no entorno da indústria”, explica o supervisor. A penitenciária abriga indústrias de diferentes áreas, desde embalagens a movéis. Em aproximadamente 20 mil metros de terra são plantadas verduras e hortaliças e ainda criam-se gado e ovelha, e comercializa-se mel.

A indústria emprega no sistema 100 apenados

Números

Atualmente, 928 presos trabalham na unidade de São Cristóvão do Sul, que possui convênio com 14 empresas. Em todo o Estado, a média de presos que trabalham está em 31%, num total de 7 mil apenados em serviço. A meta é que esses número passe a 60% nos próximos anos.

Agenda

Com agenda apertada e um pequeno atraso à visita, o governador foi conhecer a unidade prisional de Chapecó. Depois seguiu para Florianópolis onde entregou, ao presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Júlio Garcia, o Projeto de Lei referente à Reforma Administrativa do Estado.

A proposta visa a economizar meio milhão de reais em quatro anos. Segundo Moisés, isso será possível em função da eliminação de algumas secretarias executivas, com a redução de 41% dos cargos comissionados. “O Governo Federal espera dos estados: economia para sanar as contas fiscais e o Brasil crescer,” disse ele.

Tereza Ramos

Durante a entrevista o governador falou sobre a situação do Hospital Tereza Ramos que deve fechar um andar.  “Sei que está sendo gerido pela secretaria de saúde por conta da dimensão, inclusive deste hospital, que necessita de adequação e remanejamento de leitos. Acredito que o secretário de saúde Helon Zeferino fará o encaminhamento adequado. Ele está conversando com setores para dar as melhores soluções para este hospital. Há de convir que estamos assumindo a unidade baseada num projeto de gestão em que algumas secretarias discordam do modelo de como ele foi concebido. Vamos ter que arrumar novas vocações para essa unidade hospitalar”, ressalta.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: