Turismo

Vindima de Altitude atrai turistas de todo o país

Published

em

Foto: Mycchel Legnaghi Agência de notícias São Joaquim On-line/Divulgação

A sexta edição da Vindima de Altitude de Santa Catarina entra na segunda semana de programação. Desde 1º de março, o evento que atrai turistas de diferentes regiões brasileiras, em maior número de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Brasília conta também com a participação dos moradores locais, especialmente na estrutura erguida para receber os visitantes, em plena Praça Cezário Amarante, em São Joaquim, onde foram apresentados os vinhos de 14 vinícolas.

Depois do sucesso das edições anteriores, a Vindima  dá este ano um salto significativo. A abertura da tradicional festa da colheita, que ocorreu no último final de semana, em São Joaquim, firmou ainda mais a grande vocação de toda a região: o turismo.

A Vindima de Altitude ocorre em todos os finais de semana de março. A abertura no primeiro final de semana foi na praça e agora nos demais finais de semana será nas sedes das diferentes vinícolas. (veja a programação completa em www.vindimadealtitude.com.br

O presidente da comissão organizadora da Vindima deste ano, o produtor Acari Amorim (Vinícola Quinta da Neve) festeja o fortalecimento do evento e o que pode representar para geração de novas empresas, empregos e renda, não apenas em São Joaquim, mas em toda a região serrana e do meio oeste. “O turismo como um todo é a grande oportunidade de toda região entrar num novo, duradouro e sustentável ciclo econômico, a exemplo da madeira, da pecuário e do agronegócio”, acredita ele.

A Vindima deste ano, ressalta Acari Amorim, ficará marcada por novas iniciativas e resultados alcançados. Pela primeira vez – disse – a prefeitura, por meio do prefeito Giovani Nunes, apoiou de forma direta a organização e realização do evento junto com a Associação dos Produtores.

“A Vindima tem que ser em primeiro lugar um evento da cidade, da região, assim como é a tradicional Festa da Maçã, que este ano também será realizada. Eventos é um dos segmentos mais promissores para ativar a economia em toda a nossa região”.

Acari Amorim observa também que 2019 marca os 20 anos dos primeiros plantios comerciais das parreiras na altitude catarinense. Neste curto período, pela qualidade dos vinhos, praticamente todas as vinícolas da altitude já receberam diferentes prêmios nacionais e internacionais.

“Não precisamos dizer que produzimos o melhor vinho do Brasil  ou do mundo. Temos que dizer e afirmar que produzimos um vinho único, diferenciado, específico da altitude, da região mais fria do Brasil e que vale a pena beber, experimentar”, conclui Acari Amorim.

Programação durante todo o mês

O presidente da Vinho de Altitude Produtores Associados, Eduardo Bassetti, ao comemorar os ótimos resultados obtidos na primeira semana da 6ª Vindima explica que o segmento tem bons motivos para antever o sucesso do evento.

Prova disso foi a maciça presença, durante o último final de semana, de visitantes nas vinícolas que produzem os vinhos de Altitude na região. Este ano um fato novo foi  o lançamento dos primeiros vinhos da Vivalti, nova vinícola de São Joaquim, do empresário Vicente Donini. “Até o dia 31 esperamos de 30 mil a 50 mil visitantes nesta edição”, disse.

Produtores querem indicação geográfica

Segundo Bassetti, a aliança perfeita, reunindo vinhos, espumantes e paisagens fantásticas, assegura o êxito da Vindima. “Além disso, contamos com clima frio, gastronomia cada vez mais evoluída e passeios nas vinícolas. Há também uma crescente integração do turismo regional, com opções em diversos municípios, entre os quais Urubici, Bom Retiro e Bom Jardim da Serra”

“Outra boa novidade é que estamos empenhados, trabalhando bastante, para conseguir a nossa indicação geográfica. Hoje são quase 250 hectares plantados em toda a região de vinhos de altitude acima de 900 metros. Neste ano, devemos produzir cerca de um milhão de garrafas.

Segundo frisou Bassetti  a boa safra de uvas é um alento para os produtores. “As vinícolas de altitude oferecem 2 mil empregos diretos. Os indiretos são em maior número nas pousadas, restaurantes e nos serviços de turismo, que vêm crescendo bastante aqui, além da distribuição no Brasil todo”.

Pontos positivos

  • Safra 2019, recorde de mais 1 milhão de quilos de uvas que possibilitam a produção de cerca de 1 milhão de garrafas de vinho.
  • O segundo ponto positivo é a marca do 20º ano de produção da uva em São Joaquim e região
  • Terceiro é o fato de que, nesta edição, durante os três primeiros dias do mês de março as vinícolas participaram de uma exposição em praça pública, no Centro de São Joaquim. Paralelamente à exposição, que aproximará os vitivinicultores da comunidade, há também apresentações artísticas nestes dias.

Colaborou: assessoria de imprensa da Associação Vinhos de Altitude

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta