Geral

Viagem no tempo com passeio de Maria Fumaça

Published

em

Chefe de trem Everaldo Pilz - Fotos: Andressa Ramos

Eles percorreram pouco mais de cem quilômetros para fazer uma verdadeira viagem no tempo. A família, Josiane Stefen da Silva, Thiago Leandro da Silva e o pequeno Leandro saiu de Urubici, na Serra Catarinense, com destino a Lages. Se hospedaram em um hotel na cidade para que cedinho pudessem estar na Estação Ferroviária. O objetivo era o passeio de Maria Fumaça.

Além da família de Urubici, outros turistas e moradores de Lages estavam aguardando, ansiosamente, às 8 horas da manhã de sábado (10) a chegada da Maria Fumaça. A locomotiva à vapor articulada Mallet nº204, já estava em Lages desde a sexta-feira. O trem é colocado no ponto de partida, somente nos horários agendados. 

Os olhos atentos de crianças, jovens, adultos e idosos, estavam voltados para a jovem senhora Maria Fumaça. Chegando lentamente pelos trilhos, a beleza e o glamour da década de 1950 pôde ser observada. Cada detalhe representando uma época. 

Todos se organizam em uma fila para poder entrar. O soar da Maria Fumaça dá o sinal que a viagem até a Estação Berlande está prestes a começar.

A professora Mariani Pietro Oliveira comenta que a presença do trem na cidade fomenta o turismo, a economia, cultura, além de ser um programa para as famílias. Mariani, o esposo Edmilson, o filho Arthur e a irmã Daniela Maria Oliveira com a sobrinha Antonia, prestigiaram pela primeira vez o evento. Para Arthur e Antonia é a primeira experiência de trem.  

Uma viagem tranquila, de baixa velocidade, propícia para observar a paisagem serrana. Enquanto lá fora a fumaça passa pela janela, dando sentido ao nome Maria Fumaça, nos vagões o chefe de trem e restaurador, Everaldo Pilz,  trajado de terno e quepe, informa aos passageiros sobre o destino, roteiro e programação de tempo, além de contar um pouquinho sobre a Maria Fumaça, que é a única das três no Brasil em pleno funcionamento.

A locomotiva Mallet 204, única deste modelo em funcionamento na América do Sul, foi fabricada em 1950 e pertence à Associação Brasileira de Preservação Ferroviária. A locomotiva pesa 130 toneladas e suporta o carregamento de 18 mil litros d’água e 16 metros cúbicos de lenha.

O passeio continua, e depois de dez quilômetros percorridos chegamos a Estação Berlande, espaço onde, no passado, eram preparadas mais de duas mil refeições por dia para os funcionários da construção ferroviária. Na estação, havia horta, açougue, padaria e restaurante.

Apesar de bem deteriorada e abandonada, dá para se ter ideia de como era a estrutura na época. O chefe de trem retorna aos vagões para explicar como os bancos mudam de lugar e falar que a Mallet passará ao lado para fazer o retorno para Estação Ferroviária.

Thiago, o pequeno Leandro e Josiane saíram de Urubici para passear de Maria Fumaça

Movimento turístico

Uma agenda repleta de eventos movimentou Lages neste fim de semana. Além do passeio de Maria Fumaça, outros passeios e eventos gastronômicos foram responsáveis por atrair turistas e lageanos. Os dados de leitos dos hotéis ainda não foram contabilizados, pois a Secretaria de Turismo solicita apenas posterior ao fim do evento.

De acordo com o secretário da pasta, Luís Carlos Pinheiro, 20% dos passageiros que compraram os ingressos para a Maria Fumaça são turistas. A própria agenda da cidade oportuniza que os turistas apreciem várias atividades em um único fim de semana. 

Uma cidade de contrastes

Se dentro dos vagões os passageiros apreciam a vista, fora dele, os moradores dos Bairros Ferrovia, Várzea e Caça e Tiro, admiram o trem. É possível observar o condomínio Ponte Grande e sua mudança ao longo de um ano, além disso dá para notar as situações de vulnerabilidade que há nesta região. 

Edmilson, Mariani, o pequeno Arthur, Daniela e sua filha Antonia

Horários, roteiros e atrações

Nos dias 17 e 18, a Maria Fumaça partirá de Lages à Berlande às 9 horas, com retorno previsto às 10h30. O itinerário de dez quilômetros pelo interior do município de Lages, passando pelo Rio Caveiras, abrangendo território de Capão Alto, consiste em um passeio de curta duração, em média 30 minutos até Berlande, onde funcionava originalmente um centro de suprimentos quando a ferrovia foi construída. Portanto, a viagem irá se prolongar por cerca de uma hora (ida e volta).

E nos mesmos dias (17 e 18), o trem sairá de Lages às 13h30 com destino a Escurinho, para onde será disponibilizado, além dos vagões normais, os vagões Bistrô, com cinco vagões em que serão oferecidos serviços gourmet. A partida será às 13h30 e retorno aproximadamente às 18 horas, num percurso de 38 quilômetros, entre Lages e Capão Alto. Os passageiros poderão contemplar belas paisagens da área rural, como o Rio Caveiras, e mais adiante a Coxilha Rica, com seus campos e araucárias que se misturam a vastos reflorestamentos de pinheiro americano.

No caminho até a Coxilha Rica está o viaduto Estacão 690 e o túnel com 280 metros de extensão. Ainda a passagem pela velha pedreira e a chegada aos campos de araucárias. Na Estação Escurinho, o trem permanecerá por no mínimo uma hora aguardando o reposicionamento da locomotiva para retorno. Para essas datas, a composição será ampliada em mais dois carros (vagões). Eles foram trazido de caminhão de Piratuba e já estão em Lages. 

Valores

Os valores de ingressos são R$ 40 (Lages – Berlande); R$ 85 (Lages – Escurinho – vagão normal), e R$ 115 (Lages – Escurinho – vagão Bistrô). Os pontos de vendas são Honolulu Modas (dinheiro e cartões de débito ou crédito), Enjoy Agência de Viagens – Shopping Gemini (dinheiro), Bistrô Restaurante e Eventos na Via Gastronômica (dinheiro) e Lojas BGO Company, no Lages Garden Shopping (dinheiro). Também é possível comprar pela Internet: www.ihtur.com.br. A Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) é a organizadora dos passeios e tem apoio da Rumo Logística. Crianças com até cinco anos, levadas no colo, não pagam, acima desta idade, valor integral.

Atrasos e cancelamentos

A saída poderá sofrer atrasos ou cancelamentos por motivos de força maior, como condições climáticas, problemas estruturais na ferrovia em relação ao material rodante e circulação de trens de cargas. Atrasos poderão ocorrer também se caso os passageiros não retirem os bilhetes com no mínimo uma hora de antecedência. Informações adicionais: (47) 3644-7000 ou (47) 99986-0600 (WhatsApp).

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com