Geral

Vereadores aproveitam janela partidária para trocar de partido

Published

em

Ao menos, cinco vereadores lageanos vão mudar de partido neste início de ano Foto: Maurício Pezzi/Câmara de Vereadores de Lages/Divulgação

As conversas nos bastidores sobre o futuro político de alguns vereadores lageanos estão intensas. As tratativas envolvem vários nomes. Ao menos, cinco parlamentares vão aproveitar o período de janela partidária, que vai até o mês que vem, para trocar de legenda.

Com as mudanças, o PSL, o Podemos e o DEM devem se fortalecer na cidade. Entre os motivos para as trocas está a busca por espaço para disputar a eleição municipal do mês de outubro.

A janela partidária é o período em que o vereador, que pretende disputar a reeleição ou até mesmo ao cargo de prefeito nas eleições municipais, pode, por lei, trocar de partido sem perder o mandato.

O prazo para troca de legenda começou na última quinta-feira e encerra-se no dia 3 de abril, seis meses antes da realização do primeiro turno da eleição, marcado para 4 de outubro.

Eleito com 1.268 votos na eleição de 2016, o vereador Jair Júnior é um dos parlamentares que está mudando de sigla. Ele está indo para o Podemos. “Estou deixando o PSD porque não tenho espaço no partido devido a minha postura. Vou me filiar no Podemos nos próximos dias e sou pré-candidato a prefeito”, informa Jair, que ficou conhecido na Câmara por sua postura crítica ao Executivo, mesmo fazendo parte da bancada de situação.

O vereador Lucas Neves, que fez 6.192 votos no pleito passado, sendo o mais votado da cidade, deixou o PP. Ele diz que ainda não decidiu seu destino, mas tudo indica que desembarque no PSL, partido do governador do Estado, Carlos Moisés.

Vale ressaltar que, recentemente, o governador esteve em Lages cumprindo agenda e, curiosamente, Lucas o acompanhou em todos os compromissos. De acordo com a colunista de política do CL, Olivete Salmória, o governador confirmou que Lucas é o pré-candidato do partido para prefeito.

Nas redes sociais, Lucas anunciou sua saída do PP. “Na vida temos a oportunidade de refazer nossas escolhas, de optar por novos projetos. Como o projeto do partido para a eleição deste ano não é o mesmo que o meu, optei por buscar um novo caminho. Minha saída se dá de forma pacífica, em respeito aos bons amigos progressistas que ganhei ao longo dessa caminhada”, disse em sua conta pessoal do Facebook.

Eleito com 1.763 votos na eleição passada, o vereador Bruno Hartmann (PSDB) admitiu que também deverá mudar de sigla. O destino dele poderá ser o Podemos, mas ele desconversa qualquer informação neste sentido.

“Estou acertando algumas questões e ainda não defini o meu destino. Nossa intenção é criar uma grande chapa para disputar a eleição deste ano”, afirma, destacando que outros vereadores deverão fazer parte este projeto.

O vereador Amarildo Farias (PT), que recebeu 940 votos no pleito de 2016, também poderá mudar de partido. Ele, no entanto, descarta deixar a sigla. “Pretendo continuar no PT e, se um dia decidir mudar de partido, vou para o PDT e ou outra sigla de esquerda, assim como é o PT”, declara.

O petista admite, inclusive, que foi convidado a fazer parte da chapa que está costurada por vereadores para disputar a eleição a prefeito, mas afirma ser impossível apoiar o PSL e o Podemos numa possível chapa encabeçada por estes dois partidos.

“A gente recebeu o convite dos amigos vereadores, mas não faz nenhum sentido a gente apoiar estes partidos que são nossos adversários políticos”. sustenta.

Quem também está mudando de legenda é o vereador Thiago Oliveira. Ele afirma que está trocando o MDB, partido pelo qual foi eleito com 1.953 votos na eleição passada, pelo Podemos.

“Vou trocar de partido porque estou montando um projeto dentro do Podemos pra disputar a majoritária, junto com o PSL. Não sou candidato à reeleição, eu só estou montando o projeto”, declara.

Já o vereador Samuel Ramos, que fez 1.815 votos no pleito passado, está trocando o PSD pelo DEM e disse que pretende disputar a prefeitura. Ele, que acabou de deixar o cargo de secretário Municipal da Assistência Social para voltar à Câmara, está de licença médica por causa de problemas de saúde. “Estou de licença até o dia 17, após, será feito o evento de filiação e lançamento da pré-candidatura do partido a prefeito”, conta Samuel.

 

Cenário pré-eleitoral aponta quatro possíveis frentes 

 

Embora não admita, informações de bastidores dão conta de que o vereador Lucas Neves pode encabeçar uma das chapas para disputar a eleição a prefeito. Além dele, pelo PSL, o cenário pré-eleitoral, em Lages, desenha-se com outras três chapas. PSD, Cidadania e PT devem colocar seus candidatos para concorrer à prefeitura.

O PSD deverá apostar na reeleição do atual prefeito, Antonio Ceron. Na eleição de 2016, Ceron foi eleito com 35.242 votos (38,05%). Já o Cidadania cogita lançar a deputada federal Carmen Zanotto para disputar a principal prefeitura da Serra Catarinense.

O  PT, por sua vez, já anunciou o professor Cleimon Dias como pré-candidato a prefeito. Uma possível quinta chapa, encabeçada pelo empresário Dilmar Monarim, poderá surgir no pleito. O vereador Samuel Ramos também já anunciou sua pré-candidatura pelo DEM.

 

Foto: Câmara de Vereadoes d elages_Mauricio Pezzi Câmara de Lages_Divulgação.jpeg

 

Legenda:

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com