Notícias

Seminário estadual debate gestão cultural em Lages

Published

em

Foto: Núbia Garcia

Estimular artistas, produtores culturais e gestores municipais de cultura, oferecendo capacitação sobre a execução do sistema de financiamentos públicos para o setor é o objetivo do Seminário Estadual sobre Gestão de Cultura. Promovido pela Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e pela Escola do Legislativo, o evento chegou a sua quarta edição, realizada na terça-feira (29), em Lages.

Esta é a primeira vez que a Alesc expande este tipo de capacitação para além da capital Florianópolis. Ao todo, o Seminário vai passar por oito cidades. Antes de Lages já havia sido realizado em São Miguel do Oeste, Chapecó e Caçador. As próximas etapas acontecem em Criciúma, Florianópolis, Itajaí e Joinville.

A presidenta da Comissão de Educação, Cultura e Desporto, Luciane Carminatti (PT) afirma que mobilizar o setor em todas as regiões do estado é uma forma de criar perspectivas mais amplas. Segundo ela, levar capacitação aos artistas, gestores, produtores culturais é o meio para explicar como funciona a política de cultura a partir do ponto de vista da organização do sistema nacional e estadual, oportunizando, assim, mais acesso aos financiamentos de projetos culturais.

“O objetivo é trabalhar economia criativa e criar o entendimento de que a cultura está ligada a uma cadeia produtiva que gera renda, trabalho, serviços e que produz impostos que contribuem para o PIB catarinense”. Ela compara o sistema de gestão cultural aos sistemas de saúde e assistência social (SUS e SUAS), que têm normas e padrões para serem obedecidos, a fim de obter repasse de recursos e financiamentos.

O superintendente da Fundação Cultural de Lages, Gilberto Ronconi, ressaltou a importância da iniciativa da Alesc de levar aos municípios atividades como essa. “Vivemos um momento de mudanças de políticas para o setor, nas esferas federal e estadual e a gente precisa estar atento a estas mudanças. Quando falamos em recurso público, trata-se de dinheiro de todos. Quando há repasse desses recursos é preciso ter uma responsabilidade muito grande. Neste sentido, a capacitação é fundamental para que se cumpram todas as etapas de um projeto, desde a inscrição correta, a captação e depois a prestação de contas. Isso é fundamental”.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta