Conecte-se a nós

Notícias

Saída de médicos cubanos do Brasil tem efeitos na Serra Catarinense

Published

em

Foto: Divulgação/Agência Brasil

O anúncio feito pelo Ministério da Saúde de Cuba na última quarta-feira (14), de que vai retirar os profissionais cubanos que atuam no Brasil por meio do Programa Mais Médicos, causou alvoroço em todo o país. A justificativa do Governo cubano é que diverge de exigências feitas pelo governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e também em decorrência de críticas feitas pelo novo presidente ao programa.

Na Serra Catarinense, pelo menos três municípios dispõem de serviços prestados por médicos cubanos, em convênio com o Mais Médicos: Bom Jardim da Serra, Rio Rufino e Urubici. Como o anúncio foi feito às vésperas de um feriado prolongado aqui no Brasil, na sexta-feira (16) a reportagem do Correio Lageano tentou, sem sucesso, contatar representantes da Saúde de Bom Jardim da Serra e de Rio Rufino.

Contudo, a diretora de saúde da Secretaria de Saúde de Urubici, Gisiane Letícia Ribeiro, foi localizada. Segundo ela, o município tem um profissional cubano em seu quadro de médicos e sua saída, que deve acontecer ainda neste ano, é bastante preocupante.

Gisiane explica que a saída do profissional será uma grande perda no atendimento à população, pois, além deste médico ser responsável por uma área com grande abrangência, outros dois médicos se aposentaram há cerca de um mês.

“Por causa das aposentadorias realizamos um concurso neste ano, que teve dois profissionais aprovados, mas os dois desistiram de trabalhar em Urubici. Agora ficaremos com defasagem de três profissionais e sem médico que possa substituí-los”, afirma Gisiane, destacando que um novo concurso para médicos já está com inscrições abertas. A prova acontece no dia 9 de dezembro.

Criado em 2013 durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, para levar médicos a regiões distantes e periferias do país, atualmente o programa tem mais de 18,2 mil médicos trabalhando em 4.058 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas no Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde Cubano.

Na sexta-feira (16), o atual presidente da república, Michel Temer, reforçou que o governo brasileiro está tomando as providências necessárias para preencher as vagas abertas com a saída dos profissionais cubanos.

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: