Coronavírus

Previsão é de frio, que pode piorar transmissões da Covid-19

Published

em

Em São Joaquim na Serra Catarinense a temperatura mínima deve chegar a 1°C  Foto: Adecir Morais / Arquivo CL

O frio sempre foi considerado atração turística para os serranos. Mas neste outono, a previsão de baixas temperaturas para os próximos dias preocupa. Com o caos da pandemia do novo coronavírus, o frio se tornou o fator preocupante. 

Conforme avalia o biomédico, mestre e doutor em Medicina Tropical e Infectologia e professor do Instituto Federal de Santa Catarina, Paulo Henrique Matayoshi Calixto, o clima não influencia diretamente na transmissão da covid-19, ou seja, o novo coronavírus e outros vírus causadores de infecções respiratórias não se tornam mais fortes ou mais infectantes no inverno. “Durante o inverno, a umidade relativa do ar tende a diminuir e consequentemente, ocorre o ressecamento e a irritação das vias aéreas, facilitando o contágio”, explica. 

Mas existe um segundo fator de risco, o qual é considerado importante na disseminação da doença, pois em dias frios as pessoas mudam o comportamento. Habitualmente, fecham portas e janelas, se aglomeram em pequenos espaços, comprometendo a qualidade e a circulação do ar. 

“O ideal é que as pessoas mantenham uma boa circulação do ar, seja em casa, no trabalho ou no transporte, através da abertura de janelas e portas. Além disso, é importante que poucas pessoas ocupem o mesmo espaço ao mesmo tempo. Mas infelizmente isso nem sempre é possível.

Na inviabilidade de se adotar essas medidas, a pessoa deve manter a etiqueta respiratória ao tossir ou espirrar, higienizar corretamente as mãos com água e sabão e na sua impossibilidade, utilizar o álcool em gel”, comenta Paulo.

Além disso ele também ressalta que ações sinérgicas, como evitar tocar superfícies de uso comum, como maçanetas, interruptores, também reduzem a transmissão nesses ambientes. “Adicionalmente, devemos nos atentar que as pessoas devem manter o distanciamento de pelo menos 1,5 metro uma das outras”, afirma. 

“Quanto maior o número de pessoas infectadas, maior será a taxa de transmissão da infecção para as pessoas não contaminadas. Entendemos que abril será um mês difícil. Esperamos um aumento exponencial do número de casos da covid-19.

Para que o número de casos não extrapole a média nacional, a população da Serra Catarinense deve acatar medidas de segurança. Por fim, é essencial, sempre que possível, o distanciamento social”, conclui. 

Pode gear na Serra Catarinense

As temperaturas devem cair na Serra Catarinense, nesta sexta-feira (3), devido a passagem de uma frente fria que se estende até o fim de semana. A situação climatológica está ligada a um ciclone extratropical no litoral do Rio Grande do Sul, que favorece rajadas de vento mais intensas e aumento na agitação do mar no litoral de Santa Catarina. 

Em Lages, o sol vai predominar com algumas nuvens nesta sexta-feira (3). A temperatura mínima que acontece durante ao amanhecer é 7°C e a máxima não deve passar dos 17°C. 

Conforme análise da Epagri/Ciram, nas cidades altas da região serrana, existe a probabilidade de geada. Em Urupema, a temperatura mínima prevista é de 2°C, em São Joaquim  5°C e Urubici 8°C. 

Sábado (4) e domingo (5) o sol vai predominar, porém as temperaturas serão baixas ao amanhecer em toda região Serrana. Em Lages e Bom Jardim da Serra a mínima será de 6°C, São Joaquim e Urupema podem chegar a 1°C, as temperaturas máximas devem variar de 21°C a 24°C. 

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com