Economia e Negócios

Preço do leite e dos ovos aumenta nos supermercados

Published

em

Na quaresma, aumenta o consumo de ovos, segundo comerciantes / Foto: Divulgação

O preço do leite e ovos de galinha aumentou, nos últimos dias, nos supermercados, o que vem gerando reclamações dos consumidores. O valor do leite é que registra a maior elevação, chegando a cerca de 50%, já o aumento do ovo é de aproximadamente 20%. Vários fatores explicam estas alterações.

O vice-presidente da Associação dos Supermercados de Santa Catarina (Acats) e diretor do Supermercado Martendal, Jackson Martendal, explicou que o aumento do leite tem relação com a forte estiagem. A falta de chuva acaba prejudicando o pasto do gado, reduzindo, por conseguinte, a produção nas granjas, o que acaba refletindo no preço do produto nos supermercados.

Em relação ao ovo, Martendal assinala que o aumento acontece por uma questão sazonal. Segundo ele, nesta época do ano a galinha bota menos, o que acaba diminuindo a oferta do produto, consequentemente, puxando para cima o preço nas prateleiras dos supermercados.

“O aumento dos preços, tanto do leite como dos ovos, não tem nada a ver com a pandemia do coronavirus”, diz o empresário, destacando que, no caso do preço dos ovos, a expectativa é que valores voltem ao patamar normal nos próximos dois meses.

O executivo do Procon de Lages, Júlio Borba confirmou que o órgão está recebendo muitas reclamações de consumidores por causa dos preços elevados. Segundo ele, fiscais do órgão fizeram pesquisa junto aos supermercados e atacadistas de Lages e identificaram que o preço da dúzia de ovos subiu bastante.

 

Empresas são notificadas

Quanto ao leite, Júlio relatou que os comerciantes disseram que o preço do litro na indústria, que antes variava de R$ 2,14 a R$ 2.20, está custando agora R$ 3,23, um aumento de mais de R$ 1 por litro, portanto. Soma-se a isso a margem de lucro do varejista, o que acaba elevando mais o preço do produto.

Por conta disso, ele afirmou que o Procon e o Ministério Público estadual notificaram três empresas de laticínios para que elas justifiquem os aumentos excessivos. Caso o aumento não seja justificado, estas empresas poderão ser enquadradas por preço abusivo.

“Sabemos que todo o ano tem um aumento normal por causa da entressafra e, neste ano, devido à diminuição da produção em função da seca, principalmente na região Oeste do Estado que é o principal polo de produção, mas precisamos saber a razão deste aumento elevado”, disse. 

Em relação ao ovo, o executivo do Procon de Lages destacou que o aumento do preço do produto tem a ver com a quaresma, período em que consumidor busca este tipo de alimento, que é rico em proteína, em substituição à carne vermelha. Para ele, a questão de que a galinha bota menos na quaresma, precisa de comprovação científica.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com