Coronavírus

Lages tem ruas vazias, ônibus sem circular e serviços paralisados

Published

em

Rua Nereu Ramos, no Centro da cidade, estava praticamente vazia pela manhã / Adecir Morais

Lages acordou com as ruas vazias nesta quinta-feira (19), após o Governo do Estado baixar um decreto na tentativa de conter o avanço do coronavírus em Santa Catarina. O documento prevê uma série de restrições. Pela manhã, além das ruas vazias, as lojas estavam fechadas e o transporte coletivo paralisado. Apenas os serviços fundamentais, como supermercados, farmácias e postos de combustíveis, estavam funcionando na cidade.

O cenário no Centro da cidade do maior município da Serra era atípico. O silêncio estava acompanhado de uma chuva fina que caía nas primeiras horas de manhã – o sol apareceu só perto do meio-dia. No Terminal Urbano da cidade, onde circulam milhares de pessoas e um grande número de ônibus por dia, não havia uma pessoa, contrastando com o movimento costumeiramente visto no local.

 

Nas ruas Coronel Córdova e Correia Pinto, no Centro, onde o trânsito costuma ficar congestionado nos horários de pico, havia poucos veículos circulando. E na Praça João Costa, poucas pessoas transitavam e era possível encontrar lugares com facilidade. O chafariz implantado no local não tinha o mesmo brilho sem a criançada que costuma tomar banho no local. A tranquilidade era tamanha que até pombos e cães aproveitavam para passear sem serem importunados.

Poucas pessoas saíram às ruas. Mesmo com a orientação das autoridades para as pessoas evitarem a sair de casa, o cabeleireiro Leozemar Alves da Silva, de 64 anos, decidiu sair cedo. Por volta das 10 horas, ele transitava pela Rua Nereu Ramos. “Saí para comprar um guarda-chuva, mas não encontrei nada. Está tudo fechado”, comentou ele, que mora no Centro da cidade.

Quem também saiu cedo de casa foi a dona de casa Celiane Córdova dos Santos, de 37 anos. Ela estava acompanhada da filha, de três anos. “Vim pagar a fatura da internet, mas não consegui. Agora, vou para casa e espero não precisar sair mais, para ajudar a combater o coronavírus”, destacou.

O decreto do Governo do Estado prevê uma série de restrições, e a fiscalização está sendo realizada pela Polícia Militar em parceria com órgãos municipais, como a Defesa Civil. Os moradores foram orientados a ficar em casa. De acordo com a Polícia Militar, o comerciante que descumprir as determinações do decreto, não fechando os estabelecimentos conforme as normas, incorrerá no crime de desobediência e no crime de infração à determinação do poder público.

 

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com