Conecte-se a nós

Notícias

Klabin lança centro de excelência para pesquisa na Serra

Published

em

O Centro dispõe de alojamentos para até 40 visitantes, com disponibilidade de dormitórios, refeitório e um auditório - Foto: Divulgação

Estudantes e pesquisadores de todo o país podem contar, a partir de agora, com um moderno Centro de Interpretação da Natureza, localizado em um ponto estratégico da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Complexo Serra da Farofa, na Serra Catarinense.

Criado pela Klabin para dar apoio ao desenvolvimento de pesquisas científicas há mais de uma década, o Centro oferecerá infraestrutura para alojar grupos de pesquisadores durante os trabalhos e estadia na RPPN.

A empresa é detentora da área desde 2007 e passou os últimos cinco anos projetando o novo Centro. A construção do espaço, inaugurado oficialmente na quinta-feira (21) – em cerimônia realizada na Pousada do Sesc, em Lages, teve custo estimado de R$ 800 mil. Desde 2007 até a conclusão da obra do novo Centro, os pesquisadores que iam até a reserva dispunham de um espaço mais precário, já que pernoitavam na casa da antiga sede do local.

A instalação está localizada em uma área prioritária de conservação a 1.700 metros de altitude, equipada com alojamentos para receber até 40 visitantes simultaneamente, com disponibilidade de dormitórios, refeitório e um auditório, que também pode ser utilizado como sala de aula.

Com o Centro de Interpretação da Natureza, especialistas, pesquisadores e estudantes de todo o país, interessados em realizar pesquisas no local, poderão se hospedar em um dos principais pontos de acesso dentro da própria reserva.

Em coletiva à imprensa, o diretor florestal nacional da Klabin, José Artemio Totti, destacou que o Centro foi planejado para ser sustentável desde a sua construção, e foi executado pensando no conforto de quem precisa estar no local.

“Do ponto de vista geral é uma área sustentável, com preocupações de conforto, por causa dos trabalhos que são conduzidos a noite e especialmente por causa do frio que faz naquela região. O Centro foi construído com paredes duplas e sistemas para garantir maior conforto térmico para quem estiver lá”, comenta.

A unidade de conservação fica em uma área de mata nativa de aproximadamente cinco mil hectares, mantida desde 2007 pela Klabin. A RPPN Complexo Serra da Farofa é dividida em seis grandes blocos, localizados nos municípios de Painel, Urupema, Rio Rufino, Urubici e Bocaina do Sul.

A região abriga nascentes importantes, como as que compõem os rios Canoas e Caveiras, além de espécies de animais ameaçadas de extinção, por isso o local é alvo de diversas pesquisas relacionadas ao seu bioma.

O gerente de operações florestais da Klabin, José Calori; a bióloga da empresa, Mireli Pitz e o diretor florestal nacional, José Totti; fizeram o descerramento da placa que será fixada na sede do Centro de Interpretação da Natureza, durante a cerimônia realizada na Pousada do Sesc, quinta- Foto: Núbia Garcia

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta