Coronavírus

Jovens oferecem ajuda para que idosos não saiam de casa

Published

em

Rodrigo faz compras para seus vizinhos idosos / Acervo pessoal / Divulgação

Em tempos de quarentena e restrição de convívio social, a atitude colaborativa de alguns jovens em Lages tem chamado a atenção. Enquanto idosos precisam ficar isolados, sob intensa recomendação das autoridades de saúde para que não andem nas ruas, pois são o principal grupo de risco ante a pandemia do coronavírus, muitos jovens têm se oferecido para ajudar aqueles que não podem sair de casa e que, porventura, não tenham familiares próximos que possam lhes ajudar.

Morador do Bairro Bates, em Lages, Rodrigo Ribeiro, 26 anos, decidiu seguir o exemplo que viu pelas mídias digitais e que outros vizinhos já vinham fazendo e, desde o início da semana passada, se colocou à disposição para ajudar aqueles que não podem sair de suas residências, devido ao risco de contaminação.

“Eu vi umas iniciativas parecidas e, como estou desempregado e tenho tempo livre, pensei ‘porque não usar este tempo para ajudar os outros?’. É um momento muito difícil pra todo mundo e eu quero fazer algo pelos outros”, comenta. Além de oferecer auxílio para pessoas que não conhece, Rodrigo conta que também tem feito as compras para seus avós, para que não precisem sair de casa.

O rapaz divulgou seu desejo de ajudar pelas redes sociais, mas foi na rua de casa que encontrou a primeira pessoa que contou com a sua colaboração. No sábado (21), ele viu que uma vizinha estava no ponto de ônibus e a abordou. “Os filhos dela estão viajando e ela precisava comprar umas coisas no mercado aqui perto. Me ofereci pra ir no lugar dela e disse pra ela ir pra casa. Ela ficou bem faceira. É muito gratificante”, conta.

A estudante de jornalismo, Marcela Ramos, 21 anos, encontrou outra forma de abordar as pessoas e oferecer ajuda. Ela mora em um prédio, no Centro de Lages, e decidiu colocar um bilhete no elevador.

“Após o governador anunciar medidas drásticas de restrição, principalmente para aqueles que estão na classe de risco, como os idosos, me dei conta que no prédio onde eu moro com minha vó tem muitos idosos. No mesmo dia vi algumas postagens nas redes sociais, de pessoas que também moram em apartamento, deixando bilhetes no elevador, se disponibilizando em ir à farmácia ou supermercado. Foi então que pensei em fazer o mesmo. Coisas boas devem ser compartilhadas”, conta.

Marcela colocou o bilhete no elevador no dia 17 de março e foi contatada por duas vizinhas. Uma queria apenas agradecer pelo gesto, e outra realmente precisava que a garota fosse até o supermercado. “Ela foi até o meu apartamento com a listinha de compras do mercado. Aproveitei e já fiz as compras que a minha avó havia me pedido. Foram duas idosas a menos circulando fora de casa. Precisamos ter sensibilidade com o próximo, são os pequenos gestos que fazem a diferença”, afirma.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com