Coronavírus

Itajaí vai receber primeiro hospital de campanha financiado pelo Estado

Published

em

Hospital de campanha funcionará no Centreventos Itajaí - pavilhão da Marejada Foto: Arquivo Jornal Diarinho/Divulgação

A construção do primeiro hospital de campanha para atender pacientes com Covid-19 em Santa Catarina, financiado com recursos públicos, deu o que falar nos últimos dias. Na sexta-feira (10), o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) chegou a entrar com um mandado de segurança por causa do processo licitatório. Porém, como o Estado demonstrou ter cumprido o solicitado pelo órgão judicial, no domingo (12) o TJSC autorizou a continuidade da instalação.

Além disso, desde o dia em que o anúncio da instalação do hospital foi feito, em 8 de abril, circulava em várias mídias digitais uma informação de que a estrutura catarinense, que ficará localizada em Itajaí, terá 100 leitos de UTI e será custeada pelo Governo do Estado, custava muito mais caro do que o hospital de campanha que está sendo construído pelo Governo Federal em Goiás, e terá 200 leitos.

Enquanto o hospital do Centro-Oeste brasileiro tem custo de implementação de R$ 10 milhões, o catarinense foi licitado em R$ 76 milhões. Em entrevista ao Correio Lageano, o chefe da Defesa Civil de Santa Catarina (órgão responsável pela implementação do hospital de campanha), João Batista Cordeiro Júnior, explicou que esta comparação não está correta.

Segundo ele, os R$ 10 milhões investidos pelo Governo Federal no hospital de Goiás referem-se exclusivamente à obra de infraestrutura física. Por outro lado, os R$ 76 milhões investidos pelo governo catarinense no hospital de Itajaí serão utilizados não apenas na adequação do espaço físico do Centreventos Itajaí – pavilhão da Marejada, mas também para custear o pagamento dos 450 profissionais que atuarão no hospital por seis meses, compra de equipamentos e insumos, despesas com alimentação de pacientes e funcionários, limpeza do local, coleta de resíduos hospitalares e manutenção de equipamentos, dentre outros.

“A gente está vendo muita fake news comparando uma coisa que não é comparável. Se fosse para comparar, teria que comparar o custo da instalação física, já que o nosso vai ser de aproximadamente R$ 1 milhão, para 100 leitos [de UTI]. Além disso, ao final do processo, tudo vai virar patrimônio do Estado, é um legado importante. Equipamentos e insumos que sobrarem, como medicamentos e EPIs, ao final, serão todos do Estado”, comenta, ressaltando que o hospital de campanha de Itajaí deve entrar em funcionamento dentro de 30 dias e ficará aberto por seis meses.

A contratação dos 450 profissionais da saúde que atuarão em Itajaí, segundo João Batista, é de responsabilidade da vencedora da licitação, a Associação Mahatma Gandhi. “A única coisa que a gente está cobrando é que não haja competição com os hospitais públicos. Eles não vão poder contratar servidores que já trabalham nos hospitais públicos. Vão trabalhar com equipes da rede privada.”

Dependendo da demanda, outros hospitais serão construídos

O hospital de campanha de Itajaí contará com 100 leitos de UTI para atender, preferencialmente, a região da Foz do Rio Itajaí. Os recursos para a montagem do hospital serão próprios do Governo do Estado. João Batista afirma que o governo catarinense já se prepara para, se necessário, construir outros 10 hospitais de campanha em Santa Catarina, dependendo da demanda de cada região.

“Está sendo feito o primeiro, que era necessário contratar agora. Para os outros, será feito um registro de preço. Se houver necessidade, então implementa. Já estará contratado, daí é só fazer a autorização de fornecimento e, a empresa que ganhar, vai fazer a implementação”, afirma.

Por meio da Secretaria de Comunicação do Estado, na semana passada, o chefe da Defesa Civil já havia informado que “o Governo Federal tem sinalizado com a alocação de recursos para a contratação de hospitais de campanha. Por isso, o Governo do Estado lançará um pregão para registro de preços. Dessa maneira, vamos estar preparados se precisarem ser implementados”.

Também na semana passada, o governador Carlos Moisés informou que, desde o início da pandemia, 220 novos leitos de UTI (além dos 801 já existentes) estão disponíveis na rede SUS em Santa Catarina, para atender aos pacientes acometidos pela Covid-19.

O planejamento é que se chegue a pouco mais de 1.500 leitos intensivos na rede hospitalar pública. Além disso, poderão ser disponibilizados mais mil leitos desse tipo em hospitais de campanha, chegando a um total de cerca de 2.500.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com