Esportes

Gugelmin e seu parceiro Varela estão entre os 10 mais rápidos UTVs  

Published

em

Em 15 anos de carreira Gustavo encarou o desafio mais difícil - Foto: Divulgação

Depois de liderar por duas etapas o Rally Dakar, cair para a quarta colocação na terceira prova, a dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin da equipe Monster Energy/Can-Am enfrentou dois dias de maratona (desafio sem auxílio mecânico externo) e assumiram a 2ª colocação no geral entre os UTVs.

Isso porque eles completaram a primeira jornada no quarto posto e somados a vitória da especial, na última sexta-feira, são os atuais vice-campeões da edição com o veículo Can-Am Maverick X3. E estão a 1min40 de distância da dupla chilena campeã.

Após o desgastante desafio, os competidores folgaram no fim de semana, mas sem desviar da próxima jornada. Hoje, voltam às disputas com largada em San Juan de Marcona, no Peru, para percorrer uma distância de 387 km e com trecho especial de 323 km

O navegador lageano Gustavo e o piloto paulista Reinaldo são os atuais campeões nos UTVs. Para eles, a prova desta segunda-feira é um novo rali, pois a edição chega na metade das etapas programadas. A dupla está bastante motivada e tenta esquecer os contratempos, a exemplo da colisão em uma pedra, faltando 10 Km para a chegada da primeira etapa da maratona, quando dois pneus furaram.

Mesmo reconhecendo as dificuldades, a expectativa é defender o título. “Vamos pela vitória. Tem muita corrida pela frente. Estamos firmes para encontrar um ritmo, que não sofra quebra e que leve o veículo até a final”, explica Gugelmin.

Segundo ele, os competidores são todos bons e as provas estão duras tanto que comentou que “foi uma das provas mais difíceis da minha vida”. Isso que ele tem 15 anos de bagagem e muitos títulos na carreira.

Desafios e tanto, formado por 664 quilômetros (405 de trechos cronometrados) e paisagens de longas retas, altas velocidades, fesh fesh  (poeira/talco) e muitas pedras. E, no outro dia, (sexta-feira) outros 714 quilômetros de percurso (517 km de especiais). “A estratégia é administrar para que não tenhamos problemas mecânicos”, completou o empresário que compete na prova mais cobiçada pelos off-road ao redor do mundo.

O 41º Rally Dakar se encerrará no dia 17 de janeiro, na capital peruana, após a realização de dez etapas e 5.600 quilômetros percorridos (sendo 3.096 de especiais). Além de UTVs, a competição, neste ano, disputada integralmente em território peruano, possui categorias para motos, carros, quadriciclos e caminhões.

Classificação acumulada após cinco etapas

  1. #421 – Rodrigo Piazzoli / Jorge Diaz (CHI) – 21:36:25 – Can-Am Maverick X3
  2. #340 – Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin (BRA) – 21:38:07 – Can-Am Maverick X3
  3. #358 – Gerard Guel / Daniel Carreras (ESP) – 21:50:33 – Can-Am Maverick X3
  4. #344 – Sergei Kariakin (RUS) / Anton Vlasiuk (LET) – 22:05:02 – Can-Am Maverick X3
  5. #360 – Francisco Contardo / Álvaro Quintanilla (CHI) – 23:05:56 – Can-Am Maverick X3
  6. #343 – Casey Currie (EUA) / Rafael Córdoba (ESP) – 23:29:31 – Can-Am Maverick X3
  7. #412 – Marcos Baumgart / Kleber Cincea (BRA) – 23:39:18 – Can-Am Maverick X3
  8. #372 – Miguel Jordão (POR) / Lourival Justo (BRA) – 23:48:57 – Can-Am Maverick X3
  9. #398 – Cristian Baumgart / Alberto Andreotti (BRA) – 23:49:05 – Can-Am Maverick X3
  10. #378 – Ricardo Porém / Jorge Monteiro (POR) – 23:55:47 – Can-Am Maverick X3
clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com