Coronavírus

Empresas se unem para produzir álcool e doar à Saúde de Lages

Published

em

Voluntários trabalham em dois turnos para produzir álcool / Fotos: Zé Batalha / Divulgação

Com o avanço da pandemia da Covid-19, a procura por álcool em gel e líquido 70% aumentou, o que, consequentemente, deixou as prateleiras dos mercados e farmácias praticamente vazias. Foi então que o farmacêutico e bioquímico, Márcio Goulart, se tornou o coordenador voluntário de uma produção local de álcool  70%. Márcio convocou mais de 10 empresas para contribuir com esta atitude de solidariedade e a produção se iniciou nesta quinta-feira (26). 

A Ambev doou 5 mil litros de álcool 79% para a Prefeitura de Lages distribuir às unidades de Saúde, como Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Pronto Atendimento Tito Bianchini. Outros 2 mil litros serão entregues para a Defesa Civil. “O álcool vem na forma de 79%, então nós fazemos o procedimento para converter álcool 70%”, explica Márcio. 

A deputada federal Carmen Zanotto também entrou nessa ação. Foi ela a responsável pelo intermédio das doações. “Quem intermediou uma doação para a Prefeitura de Lages foi a deputada Carmen zanotto. Ela me ligou e pediu se eu poderia dar algum tipo de auxílio e, imediatamente, mobilizou um grupo de empresários de vários setores para contribuírem e ajudarem”, diz Márcio. 

Junto com a Ambev uma série de empresas e instituições se uniram: Os laboratórios de Lages; prefeitura, Defesa Civil; La Bonnie; Carlos munhoz de Paula RT, AL embalagens; American Oil; Graphel Grafica e Editora; Yakult;  Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures); Incobel Distribuidora de Bebidas; MS Manutenção e Soldas e Disman Mangueiras e Vedações. 

Para a transformação do álcool, essas instituições  doaram material e a mão de obra. O local para a produção foi cedido pelo empresário Luiz Figueiredo, dono da Lafi Cosmético. Ele  cedeu a fábrica onde funcionava a produção de esmaltes da La Ponge. As embalagens foram adquiridas pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região da Amures (Cisamures). “A Beatriz Manfroi conseguiu os recursos e a Defesa Civil foi quem buscou este material que estava fora de Lages”, explica Márcio.

Segundo ele, a Vigilância Sanitária já esteve na fábrica e emitiu o alvará de boas práticas de fabricação, validando também as embalagens. 

É uma equipe de 20 voluntários que trabalha na produção, dentre eles farmacêuticos, bioquímicos, que são responsáveis pela formulação do álcool. 

A equipe é dividida em seis pessoas por turno. São dois turnos de cinco horas cada, resultando numa  produção de 2 mil litros por dia. O álcool é envazado em garrafas de 500 e 1.000 ml. O volume total a ser produzido é de 12 mil garrafas. No primeiro dia foram produzidas 1.902 unidades de 500ml e 972 unidades de 1.000ml.

“Os laboratórios de Lages se reuniram para trabalhar nesta produção, além deles, voluntários de laboratórios da própria indústria (Lafi), que foram treinados para a produção desse álcool. O objetivo desse trabalho voluntariado é ajudar. Observamos a grande procura desse produto e não há mais no mercado. Então de alguma forma queremos ajudar”, conclui Márcio. 

 

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com