Geral

“Embalar a hóstia é uma profanação contra a nossa igreja” diz Dom Guilherme 

Published

em

Para Dom Guilherme, embalar hóstia é ofensa e profanação  Foto: Arquivo CL/ Susana  Küster / Divulgação

Após o presidente Jair Bolsonaro editar o decreto que torna as atividades religiosas parte da lista de atividades e serviços considerados essenciais, em meio ao combate ao novo coronavírus, agora os templos estão autorizados a funcionar, mesmo durante restrição ou quarentena em razão do vírus.

Segundo o texto, porém, o funcionamento da atividade religiosa deverá obedecer às determinações do Ministério da Saúde.

As atividades religiosas, com público presente em igrejas ou templos estão permitidas desde segunda-feira (20), conforme portaria já publicada no Diário Oficial do Estado.

Entre as principais normas para o funcionamento estão a capacidade de pessoas reduzida a 30%, e com espaço entre elas de 1,5m no mínimo, além de regras relacionadas à limpeza.

Além disso, em uma das  diretrizes do Diário Oficial de Santa Catarina Nº21.251, consta “Nos cultos em que houver a celebração de ceia, com partilha de pão e vinho, ou celebração de comunhão, os elementos somente poderão ser partilhados se estiverem pré-embalados para uso pessoal”, porém, a igreja católica discorda de tal imposição, considerando uma profanação ao corpo e sangue de Jesus Cristo. 

Para o bispo da diocese de Lages, Dom Guilherme Antônio Werlang, a igreja católica não admite nenhuma hipótese de interferência de nenhuma autoridade extra igreja católica em sua liturgia.

“O governador pode ter os poderes que tiver, mas ele não pode interferir na doutrina, no ensinamento e na liturgia de nenhuma religião”, afirma o bispo. 

Na religião católica, a hóstia é consagrada na santa missa, a qual é considerada o corpo e o sangue de Jesus. “E mesmo quando termina a missa, o que uma vez foi consagrado, consagrado está.

Em hipótese alguma, podemos aceitar o sacrilégio e a profanação do que nós temos de mais sagrado no cristianismo, que é o corpo e o sangue de Jesus.”

Para o bispo, embalar a hóstia antes da missa, para depois distribuir, é considerado algo  ilegítimo, além de ser uma profanação. 

“Nós devemos questionar o que aconteceria com essas embalagens? O que o fiel faria com essa embalagem? Ele iria jogar fora? E as migalhas que se desprendem da hóstia? Iriam para o lixo? Estaríamos jogando Cristo no lixo, então não podemos aceitar de forma alguma”. 

Mesmo após o decreto do presidente, líderes religiosos sinalizaram que vão manter a suspensão de cultos e missas. O entendimento geral é de que é preciso manter o isolamento e evitar aglomerações como forma de evitar a propagação do novo coronavírus no Estado, ou seja, as missas prosseguem via rádio e por meio das redes sociais. 

 “Entramos  em um acordo com as dioceses de Lages, e vamos manter as celebrações sem a presença do povo até o dia 3 de maio. Até lá vamos estudar como ficará a situação, mas se voltarmos a celebrar com o povo, a hóstia nunca será embalada e jamais vamos nos submeter a isso. Se o governador quiser prender bispo, padre por desobediência, ele que o faça. Mas não vamos nos submeter a esta ofensa. Não fomos ouvidos para elaborar essa decisão. A melhor vacina para combater o coronavírus é ficar em casa” conclui Dom Guilherme. 

Algumas exigências previstas no decreto estadual 

  • A lotação máxima autorizada será de 30% da capacidade do templo ou igreja 
  • O s lugares de assento deverão ser disponibilizados de forma alternada entre as fileiras de bancos, devendo estar bloqueados de forma física aqueles que não puderem ser ocupados 
  • Deverá ser assegurado que todas as pessoas, ao adentrarem ao templo ou igreja, estejam utilizando máscara e higienizem as mãos com álcool gel 70% ou preparações anti-sépticas ou sanitizantes de efeito similar
1 Comentário

1 Comentário

  1. Paulo Roberto

    26/04/2020 at 10:57

    Recentemente o bispo de Lages, em entrevista à Rádio Clube, mencionou as palavras de Jesus em sua última ceia, para argumentar sobre o significado do pão e vinho, na liturgia católica. Em João 14,6 Jesus diz que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida, e que ninguém vai a o Pai, senão por ele. Penso que haja uma discrepância nas interpretações de ambos os textos. Como o bispo falou, Jesus disse que aquele pão ERA o seu corpo, e assim se pretende respeitar a hóstia simbolizando o corpo de Jesus. Mas e quanto a Jesus dizer que Ele É o caminho para se chegar até Deus, de onde se tirou a doutrina de “santos intercessores”? Com a palavra o bispo…

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto:
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: