Conecte-se a nós

Negócios

Curso qualifica produção de alimentos para gerar renda

Published

em

Lages, 28/05/2010, Correio Lageano

 

A Cáritas Diocesana de Lages promoveu em três dias, um curso de gastronomia para as pessoas que fazem trabalho comunitário. O objetivo foi qualificar a produção de alimentos das 35 mulheres que participaram, para que assim possam gerar renda, dentro da perspectiva da economia solidária.


A economia solidária é uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza centrada na valorização do ser humano e não do capital. Tem base associativista e cooperativista, e é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços de modo autogerido.


Além disso, a economia solidária possui uma finalidade multidimensional, isto é, envolve as dimensões social, econômica, política, ecológica e cultural. Isto porque, além da visão econômica de geração de trabalho e renda, as experiências se projetam no espaço público, no qual estão inseridas, tendo como perspectiva a construção de um ambiente socialmente justo e sustentável.


O objetivo do curso foi mostrar que é possível utilizar restos de alimentos para cozinhar e conseguir ter uma renda. As alunas aprenderam a fazer vários tipos de pães, como o integral, de beterraba e o que fez maior sucesso entre as participantes: o de pinhão, além disso, vários tipos de empanados e molhos.  Você pode conferir na página 6, no Jornal do Pinhão, as receitas de pão e pudim de pinhão.


As participantes do curso vieram dos bairros: Gralha Azul, Itapoã, Vila Maria, Cidade Alta, Tributo, Vila Esperança e Novo Milênio. Segundo a organizadora do projeto, Jamile Araújo, é importante esta diversificação, pois em cada bairro é desenvolvido com mais ênfase um tipo de alimento. “Depois desse curso, vai haver um acompanhamento nos grupos, e dependendo do desenvolvimento, há possibilidade de projetos para apoio financeiro”, ressaltou Jamile.
A gastrônoma e nutricionista, Norma Harceno, está no ramo há 35 anos. Ela enfatizou que o curso não é só para aprender a cozinhar e sim para ajudar essas mulheres a se inserir na comunidade, além é claro, da possibilidade de gerar mais renda.


De acordo com Norma, o Brasil precisa de 120 mil profissionais capacitados na área gastronômica, “é muito diferente você aprender cozinhar com a avó ou sozinha, e ter cursos específicos na área, acompanhando as tendências culinárias”, destacou. Outro ponto importante na culinária, segundo a gastrônoma, é cozinhar com amor, paciência e dedicação, “nada fica gostoso, quando é feito porque simplesmente é necessário”, avaliou.


As alunas Geny Helena da Silva e Loir Schumacher gostaram muito do curso e esperam que haja cada vez mais aulas na área culinária, para poderem crescer financeiramente e também passarem o conhecimento nas comunidades em que trabalham. As alunas afirmam que aprenderam muitas receitas e dicas de culinária, “além disso, a professora Norma eleva nossa autoestima, ela faz a gente enxergar um mundo de possibilidades na área culinária. Eu quero abrir um negócio e vender meus produtos”, afirmou Geny.

Confira as receitas do pão e do pudim de pinhão no CLMais gastronomia e na edição do Correio Lageano deste final de semana.

fotos: Susana Küster

Anúncio
clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: