Essencial

Cuidar dos pés nos verão é essencial

Published

em

Foto: Freepik/Divulgação

O verão requer cuidados essenciais com os pés. Uma das partes mais expostas, principalmente quando se vai à praia, está suscetível a problemas bastante irritantes e que, se não forem tratados, podem prejudicar toda a saúde do organismo.

Muitos conhecem apenas a micose, mas existe uma série de outras infecções. A podóloga, em Lages, Irma Pereira Mota alerta para não andar descalços, mas os cuidados devem ir além.

Isso porque, ao pisar na areia da praia, os pés podem entrar em contato com bactérias, fungos, pulgas ou outros tipos de agentes. Geralmente, a areia tem xixi ou fezes de animais, que carregam infecções.

O cuidado é redobrado quando já se tem alguma patologia nos pés, porque além da areia em si, o risco de aumentar a infecção é grande, especialmente por causa dos dejetos deixados pelos animais de estimação. Então, Irma ressalta: saiu da água ou chegou na praia, sandália ou chinelo nos pés!

Por outro lado, a podóloga destaca que o calor faz bem, mas se tomandos os devidos cuidados. Sempre passar protetor solar – de 30fps é suficiente – e, em caso de ressecamentos, utilizar hidratantes à base de uréia e beber bastante água. Esses cuidados são necessários para se evitar outro problema: queimaduras.

É bastante comum, principalmente em horários de sol a pino, queimar os pés ao pisar na areia (por isso, a importância dos calçados). Em casos assim, Irma receita a utilização de pasta d’água, pois pode ajudar na recuperação da pele após uma queimadura. Mas, lembre-se, em casos mais graves, um médico deverá ser consultado.

Problemas com infecções

Além das famosas micoses, existem outros “bichos” fáceis de serem pegos se não houver um cuidado com os pés. O bicho-de-pé tem sido um dos problemas mais encontrados em praias brasileiras.

É um pequeno parasita que entra na pele, principalmente nos pés, onde se desenvolve rapidamente. Esta é uma infecção da pele causada por uma pequena pulga, chamada de Tunga penetrans, capaz de se infiltrar e viver por várias semanas na pele, causando uma pequena lesão que pode inflamar e causar sintomas como dor, coceira e vermelhidão.

Para tratar esta infecção, é necessário remover o parasita da pele, de preferência num posto de saúde. A única forma de controlar e evitar novas infecções é prevenindo, evitando andar descalço na areia e na lama.

Outro bicho bastante indesejado é o geográfico. Também chamada de larva migrans cutânea, é uma infecção causada pelas larvas de parasitas que vivem no intestino dos cães e gatos. Os ovos do parasita estão presentes nas fezes de cães e gatos, e desenvolvem-se em larvas quando deixados na terra ou areia quente e úmida. 

Quando entram em contato com a pele sem proteção, começam a se locomover pelas camadas da pele e deixam marcas vermelhas de seu caminho, formando desenhos (semelhantes a mapas) que coçam e inflamam, causando bolhas.

Ao coçar essas marcas, podem ocorrer infecções bacterianas secundárias. Assim que os sintomas semelhantes ao do bicho geográfico aparecerem é importante buscar um dermatologista ou mesmo um pronto-socorro para o tratamento.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com