Geral

Comunidade reivindica melhorias em travessia na Serra Catarinense

Published

em

Foto: Carlos Roberto Gomes/Divulgação

Moradores de uma comunidade rural em Capão Alto, na Serra Catarinense, cobram solução para uma travessia sobre o Rio Negreiro, na Localidade de Lagoa Grande. Quando chove forte, pelo menos três famílias ficam ilhadas, pois a estrada é a principal via de acesso à região.

Construída há cerca de 10 anos, pelos próprios moradores, a travessia passou por uma reforma, mas o problema não foi resolvido. A estrutura é de concreto e mede aproximadamente 30 metros de extensão. São apenas seis tubos pequenos que sustentam a estrutura, que não suportam o grande volume de água. “Toda vez que chove, forte ficamos ilhados”, afirma Carlos Roberto Borges de Oliveira, que mora no local há menos de ano.

O morador explica que a estrutura tem pouca vazão e, por isso, basta chover um pouco mais forte para o rio transbordar. A travessia fica encoberta, impossibilitando a passagem dos moradores que precisam ficar muitas horas aguardando a água baixar.

Carlos enfatiza que a via é importante, pois é responsável pelo escoamento da produção agrícola e também de pinus. “Ela é a principal passagem para quem sai ou chega na região, mas quando inunda, ninguém passa”, garante. Segundo Carlos, foram vários pedidos ao prefeito Tito Pereira Freitas (PP), bem como para o secretário de obras, Edson Lima de Souza, mas, até agora, ninguém fez nada.

Reforma

O secretário municipal responsável pelas obras do interior de Capão Alto, Edson Lima de Souza, explica que está ciente da situação. E que, a partir do dia 20 deste mês, quando todos retornam aos trabalhos, deverá se reunir com o prefeito Tito e a comunidade para encontrar uma solução.

Souza comenta que não existe projeto para a construção de uma ponte o que tem dificultado ainda mais a reforma. Os tubos de sustentação são muito pequenos e deverão ser substituídos por maiores. Estima-se que serão colocados 20 tubos de concreto de 80 centímetros a um metro de diâmetro. “Levaremos um engenheiro para analisar o caso e depois licitar a obra que deverá custar em torno de R$ 20 mil ao município”, finaliza.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com