Notícias

Aumento da gasolina e diesel ainda não chegou em Lages, diz Procon

Published

em

O preço do combustível nos postos de Lages oscila bastante - Foto: Adecir Morais

A Petrobras anunciou, na última quarta-feira (18), aumento nos preços da gasolina e do óleo diesel. Os novos valores passaram a valer na quinta-feira (19) nas vendas de refinarias para distribuidoras. O litro da gasolina foi reajustado em 3,3% e o diesel, em 4,2%. Em Lages, segundo o coordenador do Procon, Julio Borba, ao aumento ainda não chegou aos postos de combustíveis.

Ele explicou que ainda não é possível saber quando a alta pode impactar nos preços. Lembrou que o anúncio da alta é recente, por este motivo, os postos ainda estão praticando os preços antigos. Nesta linha, ressaltou que o aumento será reajustado apenas quando os postos esgotarem os estoques comprados pelo preço antigo, o que dependerá de cada posto.

O suposto aumento não foi percebido pelos consumidores. O motorista Clovis Oliveira Gomes, que trabalha no transporte escolar, disse que ainda não sentiu o impacto do reajuste. Para ele, o atual governo está conseguindo controlar os preços, o que não acontecia no governo passado, quando o motorista abastecia “toda a semana e dava um valor diferente”.

O reajuste do combustível chega em meio a uma crise internacional envolvendo o petróleo. Na última segunda-feira (16), a Petrobras divulgou nota sobre o bombardeio de refinarias na Arábia Saudita, responsável pela produção de 5% do petróleo mundial, o que gerou uma imediata elevação dos preços dos combustíveis no mundo. Na ocasião, a estatal disse que não faria o reajuste e esperaria uma melhor clareza sobre a situação.

Esta é a terceira alta diesel este mês. O produto já havia sido reajustado nos dias 5 e 13 de setembro. A gasolina, por sua vez, não era reajustada desde o último dia 5. Vale ressaltar que a política de preço para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos, mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo.

“A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal, conforme o site da Agência Brasil.

Preços em Lages

Em Lages, ainda não é possível saber em quanto vai subir a gasolina e o diesel no bico da bomba, uma vez que a variação de preços na cidade oscila bastante. Na sexta-feira (20), a reportagem visitou alguns postos da cidade para verificar o preço dos combustíveis. Notou-se que o valor do litro da gasolina comum oscila bastante, variando entre R$ 4,04 e R$ 4,14 nos postos percorridos.

Na cidade, conforme levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP) feito em nove postos, no período de 8 a 14 de setembro, a gasolina era vendida em média por R$ 4,024. O maior valor custava R$ 4,159 e, o menor, R$ 3,97. Em relação ao diesel, a pesquisa da ANP mostra que o preço era de R$ 3,48 (médio), R$ 3,46 (mínimo) e R$ 3,49 (máximo).

clique para comentar

Deixe uma resposta