Coronavírus

Aulas pela internet serão contadas como dias letivos

Published

em

Diretores das escolas encerram reuniões para organizar o novo plano de ensino online  Foto: PML / Divulgação 

Depois de quase um mês com as aulas suspensas, é grande a expectativa para o retorno das atividades na rede municipal de ensino de Lages.

Com a necessidade de continuar o isolamento social, como principal ação no combate ao novo Coronavírus, e atendendo ao decreto do prefeito Antonio Ceron e do Governo do Estado, que prorrogam o fechamento das escolas até dia 31 de maio, às atividades com os alunos serão via internet. 

Por conta disso, os diretores da rede municipal de educação discutiram com a Secretaria de Educação a nova metodologia de ensino.

A última reunião aconteceu nesta quarta-feira (22), a qual foi organizado o retorno das atividades pedagógicas na modalidade on-line, “As reuniões foram realizadas em pequenos grupos de diretores. Com o objetivo de organizar os espaços escolares, com cronograma de atividades, agendamento com os professores e contato com os pais e alunos. É importante saber a realidade de cada unidade escola e analisarmos como vamos proceder para a reposição desses dias letivos que foram perdidos”, aponta a secretária da Educação, Ivana Michaltchuk. 

Estas ações fazem parte do regime especial de atividades pedagógicas não presenciais do Sistema Municipal de Educação, que implantou o Plano de Intervenção Emergencial para Educação Pública Municipal de Lages.

A orientação para os pais, neste primeiro momento, é para que aguardem o chamamento dos diretores de cada unidade escolar, que entrarão em contato via telefone para o início das atividades.

“O principal objetivo é evitar aglomerações nas escolas, por isso é importante os pais aguardarem o contato em casa”, destaca a secretária.

Segundo Ivana, são aproximadamente 16 mil alunos que precisam ser cadastrados no sistema. “Agora os diretores começam o movimento com os professores e agendar horários com os pais.

Agora depende da organização de cada unidade escolar. Chamamos esse plano de intervenção emergencial para a educação pública municipal de Lages, que prevê a aprovação dos conselhos estaduais e municipais. A entrega de atividades físicas e online, serão contadas como dias letivos”, conclui. 

Férias de julho ainda são incertas

Os primeiros 15 dias de suspensão das aulas irão substituir as férias do mês de julho e os outros 15 dias seriam repostos nos sábados e feriados, ou até mesmo parte das férias de dezembro seriam utilizadas para esta reposição do conteúdo perdido

Mas uma análise concluiu que estas medidas não seriam suficientes, necessitando de alternativas. “A equipe da Secretaria da Educação procurou agir com cautela, ouvindo o que dizem os órgãos superiores ligados ao setor, reuniões com a Undime e acompanhando os conselhos estaduais e nacionais de educação, com as devidas orientações” explica a diretora de Ensino da Secretaria da Educação, Andressa Alano Alves.

Neste momento, a Secretaria aguarda a resolução do Conselho Nacional da Educação, que provavelmente vai flexibilizar as 800 horas.

“O cenário atual exige que tomemos outras estratégias. Por isso, estamos implementando o Plano de Intervenção Emergencial da Educação Pública Municipal”, argumenta Andressa.

Alunos sem acesso à internet também serão atendidos

O município abrange várias realidades. Portanto, os alunos que conseguirem acessar a plataforma através da internet terão atividades capazes de suprir as necessidades do conteúdo pedagógico.

Já aqueles que não conseguirem acessar os meios remotos e tecnológicos serão atendidos com atividades na forma impressa ou livro didático através de um plantão nas unidades escolares em que frequentam.

“Vamos elaborar atividades e conteúdos para estes alunos, que poderão ser retirados pelos pais ou responsáveis nas escolas para que eles executem em casa”, explica Ivana.

O Conselho Estadual de Educação deverá acompanhar e orientar sobre o cumprimento desta carga horária mínima anual, prevista pela LDB.

Esta metodologia vem ao encontro da aprendizagem e ferramentas pedagógicas não presenciais. O registro de frequência e atividades executadas será monitorado.

A formação continuada com os professores será retomada também por meio desta plataforma e meios tecnológicos. Outra ação será a retomada dos estudos relacionados ao documento curricular, construído por um grupo específico da Secretaria da Educação.

Portadores de deficiência terão atendimento individual 

Segundo Ivana, são mais de 300 crianças matriculadas com laudo médico, portadoras de deficiência. E cada um será atendido de forma individual, recebendo suporte nutricional, físico e pedagógico.

“Estamos fazendo um atendimento bem diferenciado com as crianças deficientes. A realidade dessas crianças é uma realidade completamente diferente.

O setor de apoio à inclusão e os professores de atendimento educacional especializado (AEE),  irão até as famílias e farão esse acompanhamento individual com cada criança. Para os pais que têm crianças deficiente em suas residências, devem aguardar o contato em casa”, destaca. 

“A entrega de atividades físicas e online, serão contados como dias letivos” afirma  secretária da Educação, Ivana Michaltchuk.

clique para comentar

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com