Notícias

Ações querem diminuir acidentes de trânsito

Published

em

Pista educativa serve para conscientizar os futuros motoristas - Foto: Marcelo Pakinha/Divulgação

Entre os meses de janeiro a agosto deste ano, foram registrados 1.692 acidentes de trânsito em Lages. O número é 8% maior em relação ao mesmo período do ano passado. O número de atropelamentos no município, também de janeiro a agosto deste ano, foi de 51. Para mudar essa realidade, várias ações alusivas à Semana Nacional do Trânsito, que objetivam conscientizar motoristas e educar estudantes, ocorrem até o dia 25, em Lages. 

Uma das atividades desta semana foi a inauguração de uma pista educativa, que contém diversas sinalizações de trânsito, como faixas de pedestre, semáforo, redutor de velocidade e cones. Nela, alunos das redes pública e privada de ensino, diante de um agendamento prévio, podem contar com palestras e praticar na pista. Segundo a gerente de educação de trânsito da Diretoria de Trânsito de Lages (Diretran), Aracelly Kristheany de Oliveira, este trabalho de conscientização é desenvolvido pelo órgão, desde 2012.  

Além da pista educativa, que agora é fixa na Rua 7 de Setembro (em frente à Secretaria da Saúde), a Diretran possui uma pista móvel que leva até as escolas e outras instituições. Para Aracelly, a educação no trânsito deve ser feita antes de a pessoa se tornar motorista. “Acreditamos que os estudantes levam o conhecimento para os pais, que são condutores. Alguns já são até condutores, no caso dos universitários, pois atendemos da educação infantil até as universidades.”

Na quarta-feira (18), foram realizadas palestras com os estudantes do Colégio Industrial de Lages promovidas pela PM, Educa Samu, Diretran e Autopista Planalto Sul. Um dos pontos abordados foi o perigo de dirigir falando ao celular.

A programação da Semana do Trânsito é intensa, mas o principal será a orientação para os pedestres e motoristas em vários pontos da cidade, com entrega de panfletos educativos e também de palestras em empresas e escolas. “Muitos motoristas que são abordados até assustam, pois ainda há vários que dirigem sem cinto de segurança ou que levam crianças sem a cadeirinha. Alertamos que a preocupação deles não deve ser com a multa e sim com a segurança de todos no interior do veículo.”

Educar crianças e adolescentes é a melhor alternativa

A educação no trânsito com crianças e adolescentes feita pela Polícia Militar e Diretran, na visão do sargento PM Jhonatan Branco, é o caminho para que o número de acidentes de trânsito diminua. Ele comenta que, às vezes, acontece de um condutor ser multado e não dar importância para isso, dizendo que vai pagar e não percebe que agiu errado no trânsito. “Já temos testemunho de pais que disseram que foram corrigidos pelos filhos depois de assistirem palestras educativas. Essas crianças e jovens, além de educarem os mais velhos, também serão motoristas mais conscientes.”

Em relação à embriaguez no trânsito, o sargento acredita que ainda falta informação por parte dos motoristas que dirigem bêbados. “A Lei Seca é cada vez mais severa, mas, para muitos motoristas, isso não conta. A multa por dirigir embriagado é quase R$ 3 mil, além da suspensão da CHN por um ano. Se voltar a dirigir nesse período, a carteira de motorista é cassada e o valor da multa vai para quase R$ 6 mil”. A prisão é feita a partir de 0,30 miligrama de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões, detectado pelo bafômetro.

O sargento frisa que ao recusar o teste de bafômetro, o motorista recebe a multa do mesmo jeito, mesmo que não tenha sinais visíveis de embriaguez, de acordo com o artigo 165-a do Código de Trânsito Brasileiro. “À simples recusa cabe multa e suspensão da carteira de motorista. Afinal, se não está embriagado, por que se recusar a fazer o teste do etilômetro (bafômetro)?”

clique para comentar

Deixe uma resposta