Conecte-se a nós

Eleições

Candidatos respondem pergunta da eleitora Luana Antunes

Published

em

Foto: Arquivo/CL

As eleições de 7 de outubro definem quem será o novo Governo do Estado de Santa Catarina. Nove nomes estão na disputa. A maioria desconhecidos da população. Apenas três foram eleitos deputados nas últimas eleições. Para ajudar nesta escolha, o Correio Lageano, publica sempre as terças-feiras, a resposta dos candidatos às perguntas dos eleitores.

Para participar é simples. As perguntas devem ser enviadas em vídeo, pelo WhatSapp 084357845. Deve ser gravada em vídeo na horizontal e o tempo não deve ultrapassar os 15 segundos. Nas informações devem constar o nome e a cidade do eleitor. Os vídeos selecionados serão enviados aos candidatos e posteriormente publicados, juntamente com as respostas, no canal do YouTube do Correio Lageano.

 

Luana Antunes da Luz, de Lages, pergunta:

 

Qual será a sua política pública em relação à economia solidária?

 

Carlos Moisés – PSL

Muito me agrada a ideia da economia solidária. Nas três esferas de poder é preciso organizar a atividade, financiando, dando cursos e entregando infraestrutura. Temos de identificar os agentes, todos os artesãos, todos os que entregam os serviços, na área de saúde e alimentação escolar. A organização das pessoas em associações, cooperativas e redes, muito me agrada. A economia solidária deve ter o apoio total das três esferas do poder. Pretendemos entregar estruturas, identificar os agentes, financiar, facilitar a ação de cada agente, tanto na área de serviços como de produtos. Deve-se diferenciar o pequeno produtor de uma grande corporação. E as exigências para a grande corporação não podem ser idênticas às que você faz a um artesão, por exemplo.  

 

Décio Lima – PT

Nós vamos construir um processo único em Santa Catarina dirigido à economia solidária. Apoiando o processo produtivo e garantindo os espaços para que possa interagir no mercado catarinense, em todos os cantinhos de Santa Catarina. Mais que isso, vamos oferecer crédito. Vou criar o banco do povo de Santa Catarina, para apoiar a economia solidária e apoiar os micro e pequenos empreendedores. Pode ter certeza que você terá orgulho das novas políticas dirigidas a apoiar a nossa economia solidária.

 

Ingrid Assis – PSTU

Uma economia realmente solidária é socialista. É impossível ter uma economia solidária nos marcos do capitalismo. Vivemos uma crise financeira profunda e que não foi criada por nós, trabalhadores, povo pobre, explorado e oprimido desse país. Foi criada pelos mais ricos e poderosos que tentam a todo momento tirar privilégios para enriquecer cada vez mais às nossas custas. Com isso, os grandes empresários e banqueiros, usam dos corruptos dos parlamentos para criar medidas que tiram nossos direitos trabalhistas, direito à aposentadoria e que tiram os direitos de uma forma geral. As pessoas mais prejudicadas são os trabalhadores do estado de Santa Catarina e do País.

 

Jessé Pereira – Patriota

Primeiramente temos de acabar com as regalias do estado e investir em você cidadão, que luta e paga seus impostos em dia. Sobre a economia solidária as políticas públicas serão: investir, aplicar e fazer acontecer, porque a comunidade tem de trabalhar em conjunto com o empresário, lutar por novas políticas e por um novo sistema em que todos sejam inseridos. Temos de inserir todos no meio da sociedade, assim a comunidade toda irá ganhar. Não adianta agora fazer falsas promessas e depois não cumprir. E vou cumprir apenas o que eu prometer.   

 

Leonel Camasão – PSOL

A economia solidária é um setor fundamental para o desenvolvimento das comunidades e das pessoas, em todas as regiões do nosso Estado. Além de incentivos e parcerias com essas entidades, também vamos investir na formação continuada dos agentes envolvidos na economia solidária. Nós entendemos que a economia solidária é um movimento muito interessante que promove desenvolvimento humano, acima do desevolvimento econômico, isso permite que as pessoas tenham renda, trabalho e também produzam de uma forma mais humana e fraterna. O governo do PSOL e do Camasão vão apoiar a economia solidária, com certeza.

 

Rogério Portanova – REDE

A economia solidária, juntamente com um comércio justo e a economia circular são as bases de uma nova economia ecológica, que está no nosso programa. Agradeço a pergunta, e vamos utilizar o princípio da economia solidária para estabelecer uma nova ordem de um desenvolvimento, que seja, ecologicamente equilibrado, socialmente justo e economicamente viável.  

Ângelo Castro (PCO), Gelson Merísio (PSD) e Mauro Mariani (MDB) não enviaram as respostas.

Anúncio
%d blogueiros gostam disto: