Conecte-se a nós

Notícias

Unidades Básicas de Saúde terão mais 10 médicos

Published

em

No Santa Helena, a população, de aproximadamente 12 mil pessoas, foi dividida em três áreas - Foto: Bega Godóy

Conseguir uma consulta com médicos das Unidades de Saúde de Lages pode levar de um a três meses. Isso porque faltam médicos em algumas áreas. O quadro estava completo até dezembro, segundo informações na Secretaria Municipal de Lages, mas 10 deles pediram exoneração, pois passaram nas provas de residência.

“Para contratar tem que ser por meio de concurso ou por processo seletivo. Optamos pelo processo seletivo por ser mais rápido. Os médicos já estão se apresentando para trabalhar”, explica a Secretária da Saúde, Odila Waldrich. Para isso acontecer, Odila acredita que levará no mínimo 30 dias.

Segundo ela, assim que forem vencidos os trâmites burocráticos, os novos profissionais serão alocados. Não há definição do local onde vão trabalhar, pois depende da demanda de cada unidade. O Bairro São Francisco é um que está desassistido (o profissional pediu transferência e, atualmente, é atendido pelo médico de produção)  vai receber um dos 10 contratados, garantiu a gestora.

O ideal, de acordo com Odila, para suprir as necessidades da cidade, seriam 40 médicos. Com os novos contratados, o quadro ficará com 37 profissionais. .

Quadro

As 27 Unidade Básicas de Lages contam, ao menos, com um médico concursado. Ele atende os pacientes de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. São os chamados Médicos da Família que fazem as visitas às casas dos moradores e também planejam ações relacionadas à saúde e atendem urgência e emergência.

O problema é que alguns postinhos atendem a mais de uma área e isso acontece quando a abrangência é enorme. Assim, a população será dividida por área, caso da Unidade do Santa Helena que tem 12 mil habitantes cadastrados e precisou ser dividida em três áreas.

Quando falta o profissional (de 40 horas) para cobrir a Unidade, a Secretaria de Saúde contrata o médico de produção. Esse médico vai atender à demanda diária da Unidade, durante cinco dia da semana. “Atende e vai embora. Recebe pelo que produz, normalmente, são 20 pessoas”, explica.

Segundo a secretária de Saúde de Lages, Odila Waldrich, as pessoa querem o médico de 40 horas que troca receita, faz as visitas, dá atenção, examina e pede exame. “Essa dificuldade de ter médicos de 40 horas nós estamos enfrentando.

Mas quando dizem que não tem médico na unidade, não é verdade. Não tem em algumas áreas. Todas as unidades têm médico, só não tem o médico que fica até as 17h”, argumenta.

Bairros que têm apenas um médico

São Francisco, São José, Vila Nova, Caça e Tiro e Universitário

Anúncio
Anúncio

Capa do Dia

Anúncio

Facebook

%d blogueiros gostam disto: